Duphaston Bula

Duphaston

  • Menstruação dolorosa;
  • Endometriose (crescimento fora do padrão do tecido que forra a
    parte interna do útero);
  • Interrupção da menstruação antes da menopausa;
  • Ciclos menstruais irregulares;
  • Fluxo menstrual muito intenso ou que ocorre entre uma
    menstruação e outra;
  • Síndrome pré-menstrual (TPM);
  • Redução do risco de aborto (ameaça de aborto ou aborto
    habitual);
  • Infertilidade devido aos baixos níveis de progesterona.
  • Suporte ou suplementação da fase lútea durante ciclos de
    fertilização obtidos por tecnologias de reprodução assistida (FIV –
    Fertilização In Vitro).

Para tratar sinais da menopausa (Este tratamento é
chamado de Terapia de Reposição Hormonal – TRH)

Estes sinais variam de mulher para mulher. Podem incluir
rubores, suores noturnos, problemas de sono, secura vaginal e
problemas urinários.

Duphaston® pode ser usado sozinho ou com um
estrogênio. Isto dependerá de cada mulher.

Como o Duphaston funciona?


Duphaston® é um hormônio sintético muito similar à
progesterona normalmente encontrada em seu organismo produzido
pelos ovários. Medicamentos como Duphaston são chamados de
“progestagênios”.

O organismo normalmente equilibra a quantidade de hormônio
natural progesterona com estrogênio (outro principal hormônio
feminino). Se seu organismo não produz progesterona suficiente,
Duphaston® supre essa deficiência e restaura o
equilíbrio.

Seu médico pode pedir para você tomar estrogênio, assim como
Duphaston®. Isto dependerá de cada mulher.

Para algumas mulheres que fazem a TRH (Terapia de Reposição
Hormonal), tomar o estrogênio isolado pode causar um espessamento
anormal da mucosa que reveste o útero. Isto também ocorre se você
não tem útero e se tem um histórico de endometriose. Tomando
didrogesterona como parte do seu ciclo mensal, ela ajuda a prevenir
esse espessamento da mucosa que reveste o útero.

O início da ação farmacológica de Duphaston® é
aproximadamente 2,5 horas após a administração.

Contraindicação do Duphaston

Não tome Duphaston® se:

  • Você é alérgica (hipersensível) à didrogesterona ou a qualquer
    um dos componentes da formulação;
  • Você tem, ou teve um tumor que é agravado pela progesterona,
    como um tumor no cérebro chamado de “meningioma”;
  • Você tem sangramento vaginal de causa desconhecida.

Não tome Duphaston® se quaisquer umas das situações
acima se aplicam a você. Se você não tem certeza, converse com seu
médico ou farmacêutico antes de tomar Duphaston®.

Se você está tomando Duphaston® junto com um
estrogênio, por exemplo, como parte de uma TRH (Terapia de
Reposição Hormonal), por favor, leia também o item ‘O que devo
fazer antes de usar o Duphaston?‘ da bula que acompanha o
medicamento com estrogênio.

Este medicamento é contraindicado para uso por
homens.

Como usar o Duphaston

Sempre tome Duphaston® exatamente como seu médico
prescreveu. Você deve checar com seu médico ou farmacêutico se você
não tem certeza. Seu médico irá ajustar a dose para atender
você.

Instruções de uso

  • Engolir cada comprimido com água.;Você pode tomar os
    comprimidos com ou sem alimentos;
  • Se você tem que tomar mais de 1 comprimido, distribuí-lo
    uniformemente ao longo do dia. Por exemplo, tomar 1 comprimido de
    manhã e outro à noite;
  • Tente tomar os comprimidos no mesmo horário todos os dias. Isto
    certificará com que haja uma quantidade constante do medicamento no
    seu corpo. Isto também irá ajudá-lo a lembrar de tomar os seus
    comprimidos;
  • O sulco em cada comprimido não deve ser usado para tomar apenas
    a metade do comprimido.

Posologia do Duphaston


Terapia de Reposição Hormonal – TRH

Em combinação com terapia estrogênica
contínua

Um comprimido de 10 mg de Duphaston® diariamente
durante 14 dias consecutivos por ciclo de 28 dias.

Em combinação com terapia estrogênica
cíclica

Um comprimido de 10 mg de Duphaston® diariamente
durante os últimos 12 – 14 dias da terapia estrogênica.

Se as biópsias endometriais ou ultrassom revelarem resposta
inadequada à progesterona, deverão ser prescritos 20 mg de
Duphaston®.

Menstruação dolorosa

10 mg duas vezes ao dia, do 5º ao 25º dia do ciclo.

Endometriose

10 mg duas a três vezes ao dia, do 5º ao 25º dia do ciclo ou
continuamente.

Interrupção da menstruação antes da
menopausa

Um estrógeno uma vez ao dia, do 1º ao 25º dia do ciclo, junto
com 10 mg de Duphaston® duas vezes ao dia, do 11º ao 25º
dia do ciclo.

Ciclos menstruais irregulares

10 mg duas vezes ao dia, do 11º ao 25º dia do ciclo.

Sangramento uterino disfuncional (para deter o
sangramento)

10 mg duas vezes ao dia por 5 a 7 dias.

Sangramento uterino disfuncional (para prevenir o
sangramento)

10 mg duas vezes ao dia, do 11º ao 25º dia do ciclo.

Síndrome pré-menstrual

10 mg duas vezes ao dia, do 11º ao 25º dia do ciclo

Ameaça de aborto

40 mg de uma só vez, e então 10 mg a cada 8 horas até que os
sintomas regridam.

Aborto habitual

10 mg duas vezes ao dia até a 20ª semana de gravidez.

Infertilidade por deficiência dos hormônios produzidos
pelos ovários

10 mg ao dia, do 14º ao 25º dia do ciclo. O tratamento deverá
ser mantido por pelo menos 6 ciclos consecutivos. É recomendável
continuar esse tratamento durante os primeiros meses de qualquer
gravidez usando as doses indicadas para o aborto habitual.

Suporte ou suplementação da fase lútea durante ciclos de
fertilização obtidos por tecnologias de reprodução assistida (FIV –
Fertilização In Vitro)

10mg (1 comprimido) três vezes ao dia, via oral (por boca),
iniciando-se no dia da aspiração folicular até a 12a
semana de gravidez.

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os
horarios, as doses e a duração do tratamento. Não interrompa o
tratamento sem o conhecimento do seu médico.

Este medicamento não deve ser partido, aberto ou
mastigado.

O que devo fazer quando eu me esquecer de usar o
Duphaston?


Tome o comprimido esquecido logo que se lembrar. No entanto, se
passou mais de 12 horas desde o horário que você deveria ter tomado
o comprimido, pule o comprimido esquecido e tome o próximo no
horário normal. Não tome uma dose dupla para compensar uma dose
esquecida. Você pode notar algum sangramento ou sangramento de
escape se você esquecer uma dose. Não pare de tomar
Duphaston® sem antes conversar com seu médico.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico
ou de seu médico.

Precauções do Duphaston

Tenha cuidado especial com
Duphaston®

Se você precisa tomar Duphaston® para sangramento
anormal, o seu médico irá encontrar a causa do sangramento antes de
você começar tomar este medicamento.

Sangramento vaginal inesperado ou sangramento de escape pode
ocorrer durante os primeiros meses de uso de
Duphaston®.

No entanto, recomenda-se agendar uma consulta com seu
médico imediatamente se o sangramento ou sangramento de
escape:

  • Continuar por mais de alguns meses;
  • Começar depois que você estiver em tratamento por algum
    tempo;
  • Continuar mesmo depois que você parou o tratamento.

Isto pode ser um sinal de que seu revestimento do útero se
tornou mais espesso. Seu médico irá procurar a causa do sangramento
ou sangramento de escape e poderá fazer um teste para descobrir se
você tem câncer no revestimento do útero.

Checar com o seu médico ou farmacêutico antes de tomar
Duphaston se você tem qualquer um dos seguintes
problemas:

  • Depressão;
  • Problemas no fígado;
  • Um problema hereditário raro no sangue chamado de “porfiria”
    [alteração em enzimas da via metabólica de proteínas (porfirinas)
    ligada ao ferro (heme)].

Se alguma das situações acima se aplicam a você (ou se
você não tem certeza), fale com o seu médico ou farmacêutico antes
de tomar Duphaston

®

.

É particularmente importante dizer ao médico se os problemas
acima pioraram durante a gravidez ou TRH (Terapia de Reposição
Hormonal) anterior. Seu médico pode querer monitorá-la mais de
perto durante o tratamento. Se eles se agravarem ou reaparecerem
enquanto você estiver tomando Duphaston®, seu médico
pode interromper o tratamento.

Duphaston® e a TRH – Terapia de Reposição
Hormonal

Assim como os benefícios, a TRH (Terapia de Reposição Hormonal)
tem alguns riscos que você e seu médico precisam considerar quando
você decidir tomar estes medicamentos. Se você está tomando
Duphaston® com um estrogênio como parte da TRH, a
seguinte informação é importante. Por favor, leia também a bula que
acompanha o medicamento com estrogênio.

Para o tratamento de sintomas de pós-menopausa, a TRH só deve
ser iniciada para sintomas que afetam adversamente a qualidade de
vida. Em todos os casos, uma avaliação cuidadosa dos riscos e
benefícios deve ser feita pelo menos anualmente e a TRH só deve ser
continuada enquanto o benefício for superior ao risco.

Menopausa precoce

Existem evidências limitadas sobre os riscos da TRH (Terapia de
Reposição Hormonal) quando usada para tratar a menopausa precoce.
Existe um baixo nível de risco em mulheres mais jovens. Isto
significa que o equilíbrio entre benefícios e riscos para as
mulheres mais jovens usando TRH para a menopausa precoce pode ser
melhor do que em mulheres mais idosas.

Exames médicos

Antes de você iniciar ou reiniciar a TRH (Terapia de Reposição
Hormonal), seu médico irá perguntar sobre seu histórico médico
pessoal e familiar e pode decidir examinar suas mamas ou sua região
genital (exame genital).

Antes ou durante o tratamento, seu médico pode fazer exames de
imagem, como uma mamografia (raioX das mamas). Ele irá dizer a você
quantas vezes você deve fazer esses exames. Uma vez que você
iniciou o tratamento com Duphaston®, você deve consultar
seu médico regularmente para exames de acompanhamento (pelo menos
uma vez ao ano). Você deverá informar ao seu médico qualquer
alteração nas mamas.

Câncer endometrial e hiperplasia
endometrial

Mulheres com útero intacto e que tomam estrogênio
isolado na TRH (Terapia de Reposição Hormonal) por muito tempo, têm
um risco maior de desenvolver:

  • Câncer endometrial (câncer na mucosa do útero);
  • Hiperplasia endometrial (espessamento anormal da camada interna
    do útero).

Tomando Duphaston® (por pelo menos 12 dias por mês ou
em ciclos de 28 dias), ou a terapia combinada
estrogênio-progestagênio em mulheres que não retiraram o útero pode
ajudar a previnir o aumento do risco que está associado à terapia
de reposição hormonal feita com estrogênio isoladamente.

Câncer de mama

Mulheres que tomam estrogênio-progestagênio e possivelmente
estrogênio isolado na TRH (Terapia de Reposição Hormonal) têm um
risco elevado de câncer de mama. O risco depende de quanto tempo
você faz TRH. O risco extra torna-se aparente após cerca de 3 anos.
Contudo, pode retornar ao normal dentro de 5 anos da interrupção do
tratamento.

Certifique-se de:

  • Realizar exame de mamografia regularmente. Seu médico vai lhe
    dizer a frequência;
  • Verifique regularmente suas mamas para quaisquer alterações,
    tais como: ondulações na pele, alterações nos mamilos, qualquer
    caroço que você pode ver ou sentir.

Se você notar quaisquer alterações, faça uma consulta
com seu médico imediatamente.

Câncer de ovário

O câncer de ovário é muito raro, mas é grave. Pode ser difícil
de diagnosticar. Isto porque frequentemente não existem sinais
óbvios da doença. Evidências sugerem um risco ligeiramente
aumentado em mulheres tomando estrogênio isolado ou combinado,
estrogênio – progestagênio para TRH, que se torna evidente dentro
de 5 anos de uso e diminui ao longo do tempo após a interrupção.
Alguns estudos sugerem que o uso de estrogênio-progestagênio na TRH
pode estar associada a um risco similar (ou levemente menor).

Coágulos de sangue

A TRH aumenta o risco de coágulos de sangue nas veias. O risco é
até 3 vezes maior que o de pessoas que não fazem a TRH. Este risco
é mais alto no primeiro ano de uso da TRH.

Você está mais disposta a ter um coágulo de sangue se
você:

  • É mais idosa;
  • Tem câncer;
  • Está muito acima do peso;
  • Estiver tomando um estrogênio;
  • Estiver grávida ou teve recentemente um bebê;
  • Você (ou parente próximo) teve um coágulo de sangue antes,
    inclusive na perna e no pulmão;
  • Esteve imobilizado por um período prolongado devido uma grande
    cirurgia, ou lesão, ou doença;
  • Tem “Lupus Eritematoso Sistêmico” (LES), um problema que causa
    dor nas articulações, erupções na pele e febre.

Se alguma das situações acima se aplicar a você (ou você não tem
certeza), fale com seu médico para ver se você deve fazer a
TRH.

Se você tiver inchaço doloroso na sua perna, dor
repentina no peito ou ter dificuldade para respirar:

  • Consulte um médico imediatamente;
  • Não tome mais a TRH até seu médico dizer que você pode retornar
    à TRH.

Estes podem ser sinais de um coágulo de sangue.

Além disso, informe seu médico ou farmacêutico se você estiver
tomando medicamentos para prevenir coágulos de sangue
(anticoagulantes), tais como: varfarina. Seu médico irá dar atenção
especial para os benefícios e os riscos da TRH.

Cirurgias

Se uma cirurgia está planejada, informe seu médico antes da
cirurgia que você faz uso da TRH. Faça isso antes da cirurgia. Você
pode precisar interromper a TRH por algumas semanas antes disso. Em
alguns casos você pode precisar fazer outros tratamentos antes ou
após a cirurgia. Seu médico lhe informará quando você pode iniciar
a TRH novamente.

Doença do coração

A TRH não ajuda a prevenir doenças do coração. Mulheres tomando
estrogênio-progestagênio na TRH são levemente mais propensas a ter
doença do coração do que aquelas que não tomam qualquer TRH. O
risco de doenças do coração também aumenta com a idade. O número de
casos adicionais de doenças do coração devido ao uso de
estrogênio-progestagênio na TRH é muito baixo em mulheres
saudáveis, perto da menopausa. O número de casos adicionais aumenta
com a idade.

Se você tiver dor no peito que espalha para o braço ou
pescoço:

  • Consulte um médico imediatamente;
  • Não tome mais a TRH até seu médico dizer que você pode retornar
    à TRH.

Estes podem ser sinais de um coágulo de um ataque no
coração.

Acidente vascular cerebral – AVC (derrame
cerebral)

A TRH combinada de estrogênio e progestagênio, e terapia com
estrogênios isolados estão associadas com um aumento no risco de
AVC. O risco é de até 1,5 vezes para pessoas que não usam a TRH. O
risco comparável para usuárias em relação não usuárias, não se
altera com a idade ou tempo desde a menopausa. O risco de AVC
aumenta com a idade. Isto significa que o risco geral de AVC em
mulheres que usam a TRH aumentará com a idade.

Se você tiver uma forte dor de cabeça ou enxaqueca sem
explicação (com ou sem problemas de visão):

  • Consulte um médico imediatamente;
  • Não tome mais a TRH até seu médico dizer que você pode retornar
    à TRH.

Estes podem ser sinais de um coágulo de um AVC.

Fertilidade

Não existe evidência que a didrogesterona diminua sua
fertilidade, se usada confome recomendado pelo seu médico.

Gravidez

Pode haver um risco aumentado de hipospadia (um defeito de
nascença do pênis que envolve a abertura urinária) em crianças
cujas mães tomaram alguns progestagênios. No entanto, este aumento
do risco não é ainda certo. Até o momento, não existe evidência que
o uso da didrogesterona durante a gravidez seja prejudicial. Mais
de 10 milhões de mulheres grávidas têm usado
Duphaston®.

Converse com seu médico antes de tomar Duphaston® se
você está grávida.

Se você ficar grávida ou pensa engravidar, consulte seu médico.
Ele conversará com você dos benefícios e riscos de tomar
Duphaston® enquanto você está grávida.

Categoria de risco na gravidez: B.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres
grávidas sem orientação médica.

Lactação

Não tome Duphaston® se você está amamentando. Não se
sabe se Duphaston® é excretado no leite materno e afeta
a criança. Estudos com outros progestagênios demostraram que
pequenas quantidades desses podem passar para o leite materno.

Crianças e Adolescentes

Não há uso de Duphaston® em crianças antes da
primeira menstruação. Não se sabe se Duphaston® é seguro
ou eficaz em jovens com idade entre 12 – 18 anos.

Efeitos na habilidade de conduzir e operar
máquinas

Você pode sentir leve sonolência ou tontura após tomar
Duphaston®. Isto é máis provável nas primeiras horas
depois de tomar esse medicamento. Se isso acontecer, não conduza ou
utilize quaisquer ferramentas ou máquinas. Esperar para ver como
Duphaston® afeta você, antes de você conduzir ou
utilizar quaisquer ferramentas ou máquinas.

Informação importante sobre os ingredientes de
Duphaston®

Duphaston® contém açúcar do leite (lactose
monoidratada). Se você foi informada pelo seu médico que não pode
tolerar ou digerir alguns açúcares (tem intolerância a alguns
açúcares), fale para seu médico antes de tomar esse medicamento.
Isso inclui problemas hereditários raros que afetam o modo como o
corpo usa a lactose, tais como “deficiência de Lapp de lactase”
(ausência da enzima lactase que gera a incapacidade de digerir a
lactose) ou “má absorção de glicose-galactose” (absorção deficiente
de glicose e galactose).

Reações Adversas do Duphaston

Como todos os medicamentos, Duphaston® pode causar
reações adversas, embora nem todas pacientes as vivenciem.

Reações adversas que podem ocorrer tomando
Duphaston®

Pare de tomar Duphaston® e consulte um médico
imediatamente se você observar qualquer uma das seguintes reações
adversas:

Inchaço da pele ao redor da face e da garganta que pode causar
dificuldade em respirar (afetam menos que 1 em 1.000 pessoas).

O mesmo se aplica as seguintes reações:

Problemas de fígado

Os sinais podem incluir amarelamento da pele ou no branco dos
olhos (icterícia), sensação de fraqueza, geralmente sensação de
mal-estar ou dor de estômago (afetam menos que 1 em cada 100
pessoas).

Reações alérgicas

Os sinais podem incluir dificuldade em respirar ou reações
envolvendo todo o corpo, tais como náusea, diarreia, pressão
arterial baixa (afetam menos que 1 em 1.000 pessoas).

Pare de tomar Duphaston® e consulte um médico
imediatamente, se você observar qualquer uma das reações adversas
acima.

Outras reações adversas que podem ocorrer tomando
Duphaston®

Reações comuns (ocorre entre 1% e 10% dos pacientes que
utilizam este medicamento)

Enxaqueca, dor de cabeça, náusea, dor ou sensibilidade nas
mamas, menstruação irregular, com fluxo intenso ou dolorida,
ausência de menstruação ou menstruação que ocorre com menos
frequência do que o normal.

Reações incomuns (ocorre entre 0,1% e 1% dos pacientes
que utilizam este medicamento)

Aumento de peso, sensação de tontura, sentir-se depressiva,
mal-estar (vômito), reações alérgicas da pele, tais como
rash, erupção cutânea grave e coceira (urticária), função
hepática (do fígado) anormal, com icterícia, astenia (sensação de
fraqueza) ou mal-estar e dor abdominal.

Reações raras (ocorre entre 0,01% a 0,1% dos pacientes
que utilizam este medicamento)

Sonolência, inchaço das mamas, um tipo de anemia causada quando
as células vermelhas do sangue são destruídas (anemia hemolítica),
inchaço devido um acúmulo de líquido (edema) geralmente nas pernas
e tornozelos (angioedema), aumento no tamanho dos tumores afetados
por progestagênios (como meningioma) e hipersensibilidade.

Espera-se que as reações adversas em pacientes mais jovens sejam
semelhantes a aquelas observadas em adultos.

Reações adversas que podem ocorrer tomando
Duphaston® com um estrogênio (estrogênio e progestagênio
– TRH)

Se você está tomando Duphaston® junto com um
estrogênio, por favor, leia também a bula que acompanha o
medicamento com estrogênio.

Pare de tomar Duphaston® e consulte um médico
imediatamente se você observar qualquer um das seguintes reações
adversas:

  • Inchaço doloroso na perna, dor repentina no peito ou
    dificuldade para respirar. Estes podem ser sinais de um coágulo de
    sangue.
  • Dor no peito que se prolonga para o braço e pescoço. Este pode
    ser um sinal de ataque do coração.
  • Dor de cabeça ou enxaqueca inexplicável e intensa, (com ou sem
    problemas de visão). Estes podem ser sinais de um AVC (derrame
    cerebral).

Pare de tomar Duphaston® e consulte um médico
imediatamente, se você observar qualquer uma das reações adversas
acima.

Faça uma consulta com seu médico imediatamente se você observar
ondulações na pele das mamas, alterações no mamilo ou caroços que
você pode ver ou sentir. Estes podem ser sinais de câncer de
mama.

Outras reações adversas tomando Duphaston® com um
estrogênio incluem espessamento anormal da mucosa do útero,
carcinoma endometrial e câncer de ovário.

Se qualquer uma das reações adversas piorarem, ou se você
observar qualquer reação adversa não relacionada nesta bula, por
favor, informe seu médico ou farmacêutico.

Informe ao seu médico ou farmacêutico o aparecimento de
reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também
empresa através do seu serviço de atendimento.

Composição do Duphaston

Cada comprimido revestido de Duphaston®
contém:

10,0mg de didrogesterona.

Excipientes:

lactose monoidratada, hipromelose, amido, dióxido de silício,
estearato de magnésio, macrogol 400 e dióxido de titânio.

Apresentação do Duphaston


Duphaston® (didrogesterona) comprimido revestido de
10 mg: embalagem com 14 ou 28 comprimidos.

Via oral.

Uso adulto.

Superdosagem do Duphaston

Se você (ou alguém) tomar muitos comprimidos de
Duphaston®, eles provavelmente não serão prejudiciais.
Nenhum tratamento é necessário. Se você ficar preocupado, fale com
seu médico.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento,
procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do
medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você
precisar de mais orientações.

Interação Medicamentosa do Duphaston

Informe seu médico ou farmacêutico se você está tomando ou tomou
recentemente qualquer outro medicamento. Isto inclui medicamentos
obtidos sem prescrição médica e medicamentos fitoterápicos (de
plantas).

Em particular, informe seu médico ou farmacêutico se você está
tomando qualquer um dos seguintes medicamentos abaixo.

Estes medicamentos podem diminuir o efeito de
Duphaston® e levar ao sangramento ou sangramento de
escape:

  • Medicamentos fitoterápicos contendo erva de São João
    (Hypericum perforatum), sálvia ou ginkgo biloba;
  • Medicamentos para convulsões (epilepsia), tais como
    fenobarbital, carbamazepina e fenitoína;
  • Medicamentos para infecções, tais como rifampicina, rifabutina,
    nevirapina e efavirenz;
  • Medicamentos para tratamento da AIDS, tais como ritonavir e
    nelfinavir.

Se alguma das situações acima se aplicar a você (ou você não tem
certeza), fale com seu médico ou farmacêutico antes de tomar
Duphaston®.

Duphaston® pode ser ingerido com ou sem
alimentos.

Informe ao seu médico se você está fazendo uso de algum
outro medicamento.

Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico.
Pode ser perigoso para a sua saúde.

Ação da Substância Duphaston

Resultados de eficácia

Terapia Hormonal

Os estudos avaliando a eficácia de Didrogesterona (substância
ativa) para a proteção endometrial na terapia hormonal mostraram
eficácia que variou de 90 a 99,7%.

Tratamento da Dismenorreia

Usando-se o esquema posológico recomendado, conseguiu-se de 72 a
92% de eficácia com o uso de Didrogesterona (substância ativa) em
mulheres com dismenorreia moderada e severa após 3o ciclo de uso.

Tratamento da Endometriose

Mulheres com diagnóstico de endometriose (leve a severa) que
usaram Didrogesterona (substância ativa) com a posologia
recomendada apresentaram melhora dos sintomas e das lesões, em 75%
a 90% dos casos. 

Tratamento da Amenorreia Secundária

O índice global de sucesso com o uso de Didrogesterona
(substância ativa) para o tratamento da amenorreia secundária em
estudos controlados variou entre 73 e 93%. 

Tratamento de Ciclos Irregulares

Cerca de 92% das mulheres que apresentavam ciclos menstruais
irregulares e que fizeram uso da Didrogesterona (substância ativa)
com o intuito de regularizar os ciclos, obtiveram
sucesso. 

Tratamento da Síndrome Pré-menstrual

Resultados de estudos controlados por placebo mostraram que 51 a
72% das mulheres que apresentavam sintomas de síndrome
pré-menstrual e que usaram Didrogesterona (substância ativa)
apresentaram melhora importante nos sintomas. 

Tratamento do aborto habitual e ameaça de aborto na
deficiência de progesterona

O uso de Didrogesterona (substância ativa) para os casos de
aborto habitual e ameaça de aborto mostra uma redução significativa
de 27 e 30%, respectivamente, na taxa de aborto. 

Tratamento da Infertilidade devido a Insuficiência
Luteínica

Mulheres com diagnóstico comprovado de deficiência luteínica que
usaram Didrogesterona (substância ativa) apresentaram sucesso no
tratamento em 68,7% dos casos. As taxas de gravidez em mulheres com
este diagnóstico variaram entre 29,6%, 31,0 % e 50,0%.

Tratamento do sangramento uterino
disfuncional

Uso de Didrogesterona (substância ativa) 10mg duas vezes ao dia
do 16o ao 25o dia do ciclo reduziu o a média
de intervalo de 40 para 28 dias e a duração do sangramento
menstrual de 6 a 5 dias. 

Características farmacológicas

Propriedades Farmacodinâmicas

A Didrogesterona (substância ativa) é um progestagênio ativo por
via oral que produz um endométrio completamente secretório em um
útero sensibilizado por estrogênio, e assim, oferecendo proteção
contra o aumento do risco de hiperplasia endometrial e/ou
carcinogênese induzido pelo estrogênio.

Didrogesterona (substância ativa) é indicado em todos os casos
de deficiência de progesterona endógena. A Didrogesterona
(substância ativa) não tem atividade estrogênica, androgênica,
termogênica, anabólica ou corticoide.

Adolescentes

Dados limitados de ensaios clínicos indicam que a Didrogesterona
(substância ativa) é eficaz no alívio de sintomas de dismenorreia,
síndrome pré-menstrual, sangramento uterino disfuncional e ciclos
irregulares na população de pacientes com menos de 18 anos de
idade de uma maneira semelhante como na população adulta.

Propriedades Farmacocinéticas

Absorção

Após administração oral, a Didrogesterona (substância ativa) é
rapidamente absorvida com um Tmáx entre 0,5 e 2,5 horas.
A biodisponibilidade absoluta da Didrogesterona (substância ativa)
(oral em dose de 20 mg x 7,8 mg de infusão intravenosa) é de
28%.

A tabela a seguir fornece os parâmetros farmacocinéticos
da Didrogesterona (substância ativa) (D) e
20-α-diidroDidrogesterona (substância ativa) (DHD) após a
administração unitária da dose de 10 mg de Didrogesterona
(substância ativa)

 

D

DHD

Cmáx
(ng/mL)
2,1 53,0
ASCinf
(ng.h/mL)
7,7 322,0

Distribuição

Após a administração intravenosa de Didrogesterona (substância
ativa) o volume de distribuição no estado estacionário é de
aproximadamente 1400L. A Didrogesterona (substância ativa) e DHD
estão mais que 90% ligadas às proteínas plasmáticas.

Metabolismo

Após a administração oral, a Didrogesterona (substância ativa) é
rapidamente metabolizada para DHD. Os níveis de pico do principal
metabólito ativo 20-α-diidroDidrogesterona (substância ativa) (DHD)
está cerca de 1,5 h após a dose. Os níveis plasmáticos de DHD são
substancialmente maiores quando comparados com a droga precursora.
As razões de ASC (área sob a curva) e Cmáx de DHD para
Didrogesterona (substância ativa) estão na ordem de 40 e 25,
respectivamente. A média das meias-vida terminal da Didrogesterona
(substância ativa) e DHD varia entre 5 a 7 horas e de 14 a 17
horas, respectivamente.

Uma característica comum de todos os metabólitos identificados é
a conservação da configuração 4,6 dieno-3-ona da droga percusora e
a ausência da 17-α-hidroxilação. Isto explica a ausência de efeitos
estrogênicos e androgênicos da Didrogesterona (substância
ativa).

Eliminação

Após a administração oral de Didrogesterona (substância ativa),
em média 63% da dose é excretada pela urina. A depuração plasmática
total é de 6,4 L/min, sendo a excreção completada dentro de 72
horas. A DHD está presente na urina principalmente como um ácido
glicurônico conjugado.

Dependência de dose e tempo

Doses farmacocinéticas simples ou múltiplas são lineares em uma
dose oral entre 2,5 e 10 mg. A comparação da cinética da dose
simples e de múltiplas doses mostrou que a farmacocinética da
Didrogesterona (substância ativa) e da DHD não são alteradas como
um resultado de doses repetidas. O estado estacionário foi
alcançado após 3 dias de tratamento.

Dados de Segurança pré-clinicos

Dados não clínicos obtidos a partir de estudos convencionais de
toxicidade de dose única e repetida, genotoxicidade e potencial
carcinogêncico não revelaram riscos especiais para humanos.

Estudos de toxicidade reprodutiva em ratos mostraram um aumento
da incidência de mamilos proeminentes (entre os dias 11 e 19 de
idade) e de hipospadia na decendência masculina em altas dosagens
não comparáveis à exposição humana. O risco real de hipospadia em
humanos não pode ser determinada em estudos animais devido a
grandes diferenças das espécies no metabolismo entre ratos
e humanos.

Dados limitados de segurança animal sugerem que a Didrogesterona
(substância ativa) tem prolongado efeitos no parto, o que é
consistente com sua atividade progestogenica.

Cuidados de Armazenamento do Duphaston

Este medicamento deve ser mantido em sua embalagem original.
Conservar em temperatura ambiente (15-30ºC). Proteger da luz e
umidade.

Se armazenado nas condições indicadas, o medicamento se manterá
próprio para consumo pelo prazo de validade impresso na embalagem
externa.

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide
embalagem.

Não use medicamento com o prazo de validade vencido.
Guarde-o em sua embalagem original.

Características do medicamento

Comprimidos revestidos redondos, biconvexos, de cor branca, com
vinco em uma das faces e a inscrição “155” dos dois lados do
vinco.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso
ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no
aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá
utilizá-lo.

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das
crianças.

Dizeres Legais do Duphaston

MS: 1.0553.0347.

Farm. Resp.:

Graziela Fiorini Soares
CRF-RJ nº 7475

Registrado por:

Abbott Laboratórios do Brasil Ltda.
Rua Michigan, 735
São Paulo – SP
CNPJ 56.998.701/0001-16
Indústria brasileira.

Fabricado por:

Abbott Biologicals B.V.
Olst – Holanda.

Abbot Center

Central de Relacionamento com o Cliente
0800 703 1050

Venda sob prescrição médica.

Duphaston, Bula extraída manualmente da Anvisa.

Remedio Para – Indice de Bulas A-Z.

Compartilhe esta página!

Remédio Para Fóruns Bulas de Medicamentos Duphaston Bula

Visualizando 1 post (de 1 do total)
  • Autor
    Posts
  • #5521
    Anônimo
    Convidado

    Duphaston Bula

    Compartilhe suas experiências sobre este medicamento com outros usuários.
      • Utilizou este Remédio para?
      • Efeitos colaterais.
      • Resultados.
      • Indicações, sugestões e dicas!
    Acessar a Bula do medicamento.
    Duphaston Bula Completa extraída da Anvisa
Visualizando 1 post (de 1 do total)
  • Você deve fazer login para responder a este tópico.
Scroll to top