Zerbaxa Bula

Zerbaxa

Como o Zerbaxa funciona?


Zerbaxa é um agente antibacteriano que atua eliminando certas
bactérias que causam infecções graves. Zerbaxa contém 2
ingredientes ativos:

  • A ceftolozana (um antibiótico “cefalosporina”), que elimina
    algumas bactérias que podem causar infecção;
  • O tazobactam (um “inibidor de betalactamase”), que se liga às
    enzimas bacterianas chamadas betalactamases, as quais inativam os
    antibióticos.

Os dois antibióticos atuam em conjunto para eliminar
determinadas bactérias e tratar a infecção.

Os medicamentos antibacterianos, incluindo Zerbaxa, devem ser
usados apenas para tratar infecções bacterianas. Eles não tratam
infecções virais (por exemplo, o resfriado comum). As bactérias
podem tornar-se resistentes aos antibióticos com o passar do tempo.
O seu médico decidirá se deve utilizar Zerbaxa para tratar sua
infecção.

Contraindicação do Zerbaxa

Você não deve usar Zerbaxa se tem:

  • Alergia à ceftolozana, ao tazobactam ou a qualquer um dos
    outros ingredientes deste medicamento;
  • Alergia aos medicamentos conhecidos como ‘cefalosporinas’;
  • Reação alérgica grave (por exemplo, descamação grave de pele;
    inchaço na face, nas mãos, nos pés, lábios, na língua ou garganta;
    ou dificuldade para engolir ou respirar) a outros determinados
    antibióticos betalactâmicos (por exemplo, penicilinas ou
    carbapenéns).

Como usar o Zerbaxa

O seu médico ou outro profissional de saúde administrará
Zerbaxa.

Posologia do Zerbaxa


A dose recomendada de Zerbaxa é de 1,5 g (que contém 1 g de
ceftolozana e 0,5 g de tazobactam) a cada 8 horas, a qual deve ser
administrada em uma de suas veias (diretamente na circulação
sanguínea) como uma infusão intravenosa (IV) ao longo de 1
hora.

O tratamento com Zerbaxa normalmente dura de 4 a 14 dias,
dependendo da gravidade e da localização da infecção e de como o
seu organismo responde ao tratamento.

Pacientes com problemas renais

O seu médico poderá precisar reduzir a dose de Zerbaxa ou
decidir com que frequência Zerbaxa será administrado. Ele poderá
também solicitar um exame de sangue, para garantir que você receba
uma dose adequada do medicamento.

Sintomas no caso de interrupção do
tratamento

Zerbaxa deve ser utilizado exatamente conforme a orientação.
Omitir doses ou não completar o tratamento pode fazer com que seus
sintomas piorem. O uso incorreto de Zerbaxa pode aumentar a
probabilidade das bactérias desenvolverem resistência e futuramente
não serem tratáveis com Zerbaxa ou outros antibacterianos.

Caso tenha dúvidas adicionais sobre o uso deste medicamento,
pergunte ao seu médico ou a outro profissional de saúde.

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os
horários, as doses e a duração do tratamento.

Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu
médico.

O que devo fazer quando eu me esquecer de usar o
Zerbaxa?


Se você acha que não recebeu uma dose de Zerbaxa, avise seu
médico ou outro profissional de saúde imediatamente.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico
ou de seu médico, ou cirurgião-dentista.

Precauções do Zerbaxa

Converse com seu médico ou outro profissional de saúde
antes de iniciar o tratamento com Zerbaxa caso:

  • Tenha problemas renais;
  • Saiba que tem alergia j cefalosporinas, penicilinas ou outros
    antibióticos;
  • Tenha ocorrido diarreia recentemente ou caso ocorra diarreia
    durante o tratamento com Zerbaxa.

Reações Adversas do Zerbaxa

Qualquer medicamento pode causar efeitos indesejáveis ou não
intencionais, que são os chamados efeitos colaterais.

Efeitos colaterais comuns (podem afetar até 1 em 10
pessoas)

  • Cefaleia;
  • Dor de estômago;
  • Constipação (prisão de ventre);
  • Diarreia;
  • Náusea;
  • Vômitos;
  • Aumento das enzimas hepáticas (em exames de sangue);
  • Erupção cutânea;
  • Febre (temperatura alta);
  • Redução da pressão arterial;
  • Redução de potássio (em exames de sangue);
  • Aumento do número de certos tipos de células do sangue,
    conhecidas como plaquetas;
  • Tontura;
  • Ansiedade;
  • Dificuldade de dormir;
  • Problemas locais (por exemplo, vermelhidão anormal na pele,
    inflamação, dor, coceira ou erupção na pele) ao injetar uma
    substância na veia (reações no local de infusão).

Efeitos colaterais incomuns (podem afetar até 1 em 100
pessoas)

  • Inflamação do intestino grosso causada pela bactéria C.
    difficile
    ;
  • Inflamação estomacal;
  • Inchaço abdominal;
  • Indigestão;
  • Excesso de gases no estômago ou intestino;
  • Obstrução no intestino;
  • Infecção na boca por fungos (aftas);
  • Infecção na genitália feminina por fungos;
  • Infecção no trato urinário por fungos;
  • Aumento das concentrações de açúcar (glicose) (em exames de
    sangue);
  • Redução da concentração de magnésio (em exames de sangue);
  • Redução da concentração de fosfato (em exames de sangue);
  • AVC isquêmico (derrame causado pela redução do fluxo de sangue
    no cérebro);
  • Trombose venosa (coágulo de sangue em uma veia);
  • Contagem baixa de glóbulos vermelhos;
  • Fibrilação atrial (uma condição que inclui batimento cardíaco
    irregular, acelerado);
  • Batimento cardíaco rápido;
  • Angina pectoris (dor no peito ou sensação de aperto,
    pressão ou peso no peito);
  • Erupção cutânea com coceira ou inchaço da pele
    (urticária);
  • Problemas renais;
  • Doença renal.

Falta de ar

Outros efeitos colaterais também podem ocorrer raramente e, a
exemplo do que ocorre com qualquer medicamento de venda sob
prescrição, alguns desses efeitos colaterais podem ser graves.

Peça mais informações ao seu médico ou a outro profissional de
saúde. Eles têm uma lista completa de efeitos colaterais. Avise seu
médico ou outro profissional de saúde imediatamente sobre esses ou
quaisquer outros sintomas incomuns.

Atenção:

este produto é um medicamento novo e, embora as pesquisas tenham
indicado eficácia e segurança aceitáveis, mesmo que indicado e
utilizado corretamente, podem ocorrer eventos adversos
imprevisíveis ou desconhecidos. Nesse caso, informe seu médico ou
cirurgião-dentista.

População Especial do Zerbaxa

Gravidez

Avise seu médico se estiver grávida ou tentando engravidar.

O seu médico irá informar se você pode utilizar Zerbaxa durante
a gravidez.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres
grávidas sem orientação médica ou do
cirurgião-dentista.

Amamentação

Avise seu médico se você estiver amamentando ou planejando
amamentar. O seu médico irá discutir os possíveis riscos e
benefícios de usar Zerbaxa durante a amamentação.

Crianças

Este medicamento não deve ser dado para crianças com idade
abaixo de 18 anos, pois não há informações suficientes sobre seu
uso nessa faixa etária.

Composição do Zerbaxa

Apresentações

Pó para solução para infusão de 1 g de sulfato de
ceftolozana + 0,5 g de tazobactam sódico em embalagem contendo 10
frascos-ampolas.

Uso intravenoso.

Uso adulto.

Composição

Cada frasco-ampola contém

Sulfato de
ceftolozana

1,147 g (equivalente a 1 g de
ceftolozana)

Tazobactam sódico

0,537 g (equivalente a 0,5 g de
tazobactam)

Excipientes:

cloreto de sódio, ácido cítrico e L-arginina.

Superdosagem do Zerbaxa

Como este produto é administrado por um médico ou outro
profissional de saúde, é muito improvável que você receba uma dose
muito alta de Zerbaxa. Entretanto, em caso de dúvidas, você deve
contatar o seu médico ou outro profissional de saúde
imediatamente.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento,
procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do
medicamento, se possível.

Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais
orientações.

Interação Medicamentosa do Zerbaxa

Uso com outros medicamentos, suplementos alimentares,
produtos herbais e alimentos

Avise o seu médico sobre todos os medicamentos que você toma,
incluindo medicamentos de venda sob prescrição e de venda livre,
vitaminas e fitoterápicos.

Conheça os medicamentos que você toma. Mantenha uma lista de
seus medicamentos e mostre-a para seu médico e para o farmacêutico,
quando precisar usar um novo medicamento.

É especialmente importante informar o seu médico se você
faz tratamento com o seguinte medicamento:

Probenecida (um medicamento usado para tratar gota).

Esse medicamento pode aumentar o tempo que o tazobactam leva
para ser eliminado do seu organismo.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está
fazendo uso de algum outro medicamento.

Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico.
Pode ser perigoso para a sua saúde.

Ação da Substância Zerbaxa

Resultados de Eficácia


Infecções intra-abdominais complicadas

Um total de 979 adultos com IIAc hospitalizados foram
distribuídos de forma randômica e receberam os medicamentos do
estudo em um estudo multinacional, duplo-cego, que comparou Sulfato
de Ceftolozana + Tazobactam Sódico (substância ativa) 1,5 g (1 g de
ceftolozana e 0,5 g de tazobactam) por via intravenosa a cada 8
horas adicionado a metronidazol (500 mg por via intravenosa a cada
8 horas) ao meropeném (1 g por via intravenosa a cada 8 horas) por
4 a 14 dias de tratamento. As infecções intra abdominais
complicadas incluíram apendicite, colecistite, diverticulite,
perfuração gástrica/duodenal, perfuração do intestino e outras
causas de abscessos intra-abdominais e peritonite.

O desfecho primário de eficácia foi resposta clínica, definida
como resolução completa ou melhora significativa de sinais e
sintomas do índice de infecção no teste de cura (TDC) nas visitas
ocorridas 24 a 32 dias após a primeira dose do medicamento em
estudo. A população da análise primária de eficácia foi a população
clinicamente avaliável (CA), que incluiu todos os pacientes com
adesão ao protocolo que receberam uma quantidade adequada do
medicamento do estudo. O principal desfecho secundário de eficácia
foi resposta clínica na visita para TDC na população com intenção
de tratar (IDT), que incluiu todos os pacientes distribuídos de
forma randômica, independentemente deles terem recebido o
medicamento do estudo ou não. A população CA consistiu de 774
pacientes; a idade mediana dos participantes era 49 anos e 58,7%
deles eram do sexo masculino.

O diagnóstico mais comum foram perfuração do apêndice ou
abscesso periapendicular, com ocorrência em 47,7% dos pacientes. A
peritonite difusa na linha de base manifestou-se em 35,9% dos
pacientes.

As taxas de cura clínica na população CA na visita para TDC com
Sulfato de Ceftolozana + Tazobactam Sódico (substância ativa)
adicionado a metronidazol foram não inferiores às com o meropeném.
As taxas de cura clínica na visita para TDC são mostradas por
população de pacientes, na Tabela 1. As taxas de cura clínica na
visita para TDC, por patógeno, na população avaliável
microbiologicamente (AM), são mostradas na Tabela 2. A AM incluiu
todos os pacientes com adesão ao protocolo com ao menos 1 patógeno
intra-abdominal na linha de base, independentemente da
susceptibilidade ao medicamento do estudo.

Tabela 1. Taxas de cura clínica em um Estudo de
Fase 3 sobre infecções intra-abdominais complicadas:

* Sulfato de Ceftolozana + Tazobactam Sódico (substância ativa)
1,5 g IV a cada 8 horas + metronidazol 500 mg IV a cada 8
horas.
1 g IV a cada 8 horas.
O IC 99% foi calculado com uso de método de Newcombe
com pesos de risco mínimo.

Tabela 2. Taxas de cura clínica por patógeno em
Estudo de Fase 3 sobre infecções intra-abdominais complicadas
(população AM):

Grupo do organismo patógeno

Sulfato de Ceftolozana + Tazobactam Sódico adicionado a
metronidazol n/N (%)

Meropeném n/N (%)

Gram-negativo aeróbio

238/252 (94,4)

273/291 (93,8)

Escherichia coli

197/208 (94,7)

216/231 (93,5)

Escherichia coli (produtor de
ESBL)

14/14 (100)

18/20 (90)

Escherichia coli (CTX-M-14/15
produtores de ESBL)

9/9 (100)

7/9 (77,8)

Klebsiella pneumoniae

28/30 (93,3)

22/25 (88)

Klebsiella pneumoniae
(produtores de ESBL)

7/8 (87,5)

3/4 (75)

Klebsiella pneumoniae
(CTX-M-15 produtores de ESBL)

5/5 (100)

0/1 (0)

Pseudomonas aeruginosa

26/26 (100)

27/29 (93,1)

Enterobacter cloacae

19/22 (86,4)

22/22 (100)

Klebsiella oxytoca

12/12 (100)

21/22 (95,5)

Proteus mirabilis

10/11 (90,9)

9/10 (90)

Gram-positivo aeróbio

153/168 (91,1)

170/185 (91,9)

Streptococcus anginosus

25/30 (83,3)

23/23 (100)

Streptococcus
constellatus

17/18 (94,4)

20/23 (87)

Streptococcus salivarius

9/10 (90)

8/8 (100)

Gram

negativo anaeróbio

104/109 (95,4)

132/137 (96,4)

Bacteroides fragilis

39/41 (95,1)

56/57 (98,2)

Em um subgrupo de isolados de E. coli e K.
pneumoniae
de ambos os braços de tratamento do estudo de Fase
3 de IIAc que atendiam aos critérios pré-especificados para
susceptibilidade betalactâmica, o teste genotípico identificou
certos grupos de ESBL (isto é, TEM, SHV, CTX-M, OXA) em 53/601
(9%). As taxas de cura nesse subgrupo foram similares aos
resultados globais do estudo. O teste de susceptibilidade in
vitro
demonstrou que alguns desses isolados eram suscetíveis a
Sulfato de Ceftolozana + Tazobactam Sódico (substância ativa),
enquanto alguns outros não foram suscetíveis. Os isolados de
genótipo específico foram observados em pacientes considerados
tanto como tendo tratamento bem-sucedido quanto nos tidos por
falhas de tratamento.

Infecções do trato urinário complicadas, incluindo
pielonefrite

Um total de 1.068 adultos hospitalizados com infecções do trato
urinário complicadas (incluindo pielonefrite) foi distribuído de
forma randômica e recebeu as medicações do estudo em um estudo
multinacional e duplo-cego, que comparou Sulfato de Ceftolozana +
Tazobactam Sódico (substância ativa) (1,5 g IV a cada 8 horas) ao
levofloxacino (750 mg IV uma vez ao dia) por 7 dias de tratamento.
O desfecho primário da eficácia foi definido como erradicação
microbiológica (todos os uropatógenos detectados na linha basal em
≥ 105 foram reduzidos para lt;103 CFU/mL) noTDC realizado na visita
7 (± 2) dias após a última dose do medicamento do estudo. A
população da análise de eficácia primária foi a AM, que incluiu
pacientes com adesão ao protocolo intenção de tratar modificado
microbiologicamente (IDTmM), com cultura de urina na visita para
TDC. O principal desfecho secundário de eficácia foi a erradicação
microbiológica na visita para TDC na população IDTmM, que incluiu
todos os pacientes que receberam a medicação do estudo e tinham ao
menos 1 uropatógeno na linha de base.

A população AM consistiu de 693 pacientes com ITUc, incluindo
567 (82%) com pielonefrite. A idade mediana dos participantes foi
de 50 anos e 73% deles eram do sexo feminino. Identificou-se
bacteremia concomitante em 50 (7,2%) dos pacientes na linha de
base.

Sulfato de Ceftolozana + Tazobactam Sódico (substância ativa)
foi superior ao levofloxacino quanto às taxas de erradicação
microbiológica na visita para TDC, tanto na população AM como na
IDTmM (Tabela 3).

As taxas de erradicação microbiológica na visita para TDC por
patógeno, na população AM, são mostradas na Tabela 4.

Tabela 3. Taxas de erradicação microbiológica em um
Estudo de Fase 3 de infecções no trato urinário
complicadas:

* 1,5 g IV a cada 8 horas.
750 mg IV uma vez ao dia.
IC 99% com base no método estratificado de
Newcombe.

Tabela 4. Taxas de erradicação microbiológica por
patógeno em um Estudo de Fase 3 de infecções no trato urinário
complicadas (população AM):

Grupo do organismo patógeno

Sulfato de Ceftolozana + Tazobactam Sódico n/N
(%)

Levofloxacino n/N (%)

Gram-negativo aeróbio

282/322 (87,6)

255/340 (75)

Escherichia coli

232/261 (88,9)

219/284 (77,1)

Escherichia coli (produtor de
ESBL)

26/36 (72,2)

17/36 (47,2)

Escherichia coli (CTX-M-14/15
produtores de ESBL)

19/27 (70,4)

13/25 (52)

Klebsiella pneumoniae

21/25 (84)

14/23 (60,9)

Klebsiella pneumoniae
(produtores de ESBL)

7/10 (70)

2/7 (28,6)

Klebsiella pneumoniae
(CTX-M-15 produtores de ESBL)
5/8 (62,5)

1/4 (25)

Proteus mirabilis

10/10 (100)

8/11 (72,7)

Pseudomonas aeruginosa

6/7 (85,7)

6/12 (50)

Em pacientes com patógenos resistentes ao levofloxacino na linha
de base, Sulfato de Ceftolozana + Tazobactam Sódico (substância
ativa) foi superior ao levofloxacino quanto à taxa de erradicação
microbiológica na população AM, 58/89 (65,2%) no braço de
tratamento com Sulfato de Ceftolozana + Tazobactam Sódico
(substância ativa) e 42/99 (42,4%) no braço de tratamento com
levofloxacino (IC 95%: 22,7 [8,47; 35,73]).

Na população AM, a taxa de erradicação microbiológica em
pacientes com bacteremia concomitante foi de 21/24 (87,5%) com
Sulfato de Ceftolozana + Tazobactam Sódico (substância ativa) e de
20/26 (76,9%) com levofloxacino.

Em um subgrupo de isolados de E. coli e K.
pneumoniae
de ambos os braços de tratamento do estudo de Fase
3 de ITUc que atendiam aos critérios pré especificados de
susceptibilidade betalactâmica, o teste genotípico identificou
certos grupos de ESBL (isto é, TEM, SHV, CTX-M, OXA) em 104/687
(15%).

As taxas de cura nesse subgrupo foram similares aos resultados
globais do estudo. O teste de susceptibilidade in vitro
demonstrou que alguns desses isolados eram suscetíveis a Sulfato de
Ceftolozana + Tazobactam Sódico (substância ativa), enquanto alguns
outros não foram suscetíveis. Os isolados de um genótipo específico
foram observados tanto em pacientes considerados como tendo
tratamento bem sucedido quanto nos tidos por falhas de
tratamento.

Referências
bibliográficas

Solomkin J, Hershberger E, Miller
B, Popejoy M, Friedland I, Steenbergen J, et al.
Ceftolozane/Tazobactam plus metronidazole for complicated
intra-abdominal infections in an era of multidrug resistence:
Results from a randomized, double-blind, phase 3 trial
(ASPECT-cIAI). Clinical Infectious Diseases 2015;
60:1462-1471.

Wagenlehner F M, Umeh O,
Steenbergen J, Yuan G, O Darouiche R. Ceftolozane-tazobactam
compared with levofloxacin in the treatment of complicated
urinary-tract infectons, including pyelonephritis: a randomised,
double-blind, phase 3 trial (ASPECTcUTI). The Lancet
2015.

Características Farmacológicas


Classe terapêutica

A associação ceftolozana-tazobactam é um betalactâmico e
inibidor de betalactamase.

Mecanismo de ação

Sulfato de Ceftolozana + Tazobactam Sódico (substância ativa) é
um medicamento antibacteriano.

Microbiologia

Mecanismo de ação

A ceftolozana pertence aos antimicrobianos da classe das
cefalosporinas. A ceftolozana exerce atividade bactericida pela
ligação a importantes proteínas de ligação à penicilina (PBPs), o
que resulta na inibição da síntese da parede celular bacteriana e
consequente morte celular. A ceftolozana é um inibidor de PBPs de
P. aeruginosa (por exemplo, PBP1b, PBP1c e PBP3) e E. coli (por
exemplo, PBP3).

O tazobactam é um betalactâmico estruturalmente relacionado à
penicilina. É um inibidor de muitas betalactamases de Classe
molecular A, incluindo as enzimas CTX M, SHV e TEM.

Sulfato de Ceftolozana + Tazobactam Sódico (substância ativa)
demonstrou atividade in vitro contra Enterobacteriaceae na
presença de algumas betalactamases de espectro estendido (ESBLs) e
outras betalactamases dos seguintes grupos: TEM, SHV, CTX-M e OXA.
Sulfato de Ceftolozana + Tazobactam Sódico (substância ativa)
também demonstrou atividade in vitro contra isolados de P.
aeruginosa testados que tinham AmpC cromossômica, perda de porina
da membrana externa (OprD) ou suprarregulação de bombas de efluxo
(MexXY, MexAB).

Resistência

Os mecanismos de resistência bacteriana a ceftolozana e
tazobactam incluem:

  • Produção de betalactamases que podem hidrolisar a ceftolozana e
    que não são inibidas pelo tazobactam (veja a seguir);
  • Modificação de PBPs.

O tazobactam não inibe todas as enzimas de Classe A.

Além disso, o tazobactam não inibe os seguintes tipos de
betalactamases:

  • Serina-carbapenemases (por exemplo, carbapenemases
    Klebsiella pneumoniae [KPCs];
  • Metalobetalactamases (por exemplo, metalobetalactamase de Nova
    Déli [NDM]; metalobetalactamase de São Paulo [SPM]);
  • Betalactamases Classe D de Ambler (OXA-carbapenemases).

Informações de cultura e susceptibilidade, e epidemiologia local
devem ser consideradas na seleção ou modificação do tratamento
antibacteriano.

Resistência cruzada

Os isolados resistentes a outras cefalosporinas podem ser
suscetíveis à ceftolozana e ao tazobactam, embora possa ocorrer
resistência cruzada.

Interação com outros antimicrobianos

Estudos de sinergia in vitro sugerem ausência de
antagonismo entre ceftolozana e tazobactam e outros antibacterianos
(por exemplo, meropeném, amicacina, aztreonam, levofloxacino,
tigeciclina, rifampicina, linezolida, daptomicina, vancomicina e
metronidazol).

Lista de microrganismos

Sulfato de Ceftolozana + Tazobactam Sódico (substância ativa)
demonstrou atividade contra as seguintes bactérias, em infecções
clínicas e in vitro.

Infecções intra-abdominais complicadas

Bactérias gram-negativas

Enterobacter cloacae

Escherichia coli

Klebsiella oxytoca

Klebsiella pneumoniae

Proteus mirabilis

Pseudomonas aeruginosa

Bactérias gram-positivas

Streptococcus anginosus

Streptococcus
constellatus

Streptococcus salivarius

Bactérias anaeróbias

Bacteroides fragilis

Infecções do trato urinário complicadas, incluindo
pielonefrite

Bactérias gram-negativas

Escherichia coli

Klebsiella pneumoniae

Proteus mirabilis

Pseudomonas aeruginosa

Não se estabeleceu a eficácia clínica contra os
seguintes patógenos, embora estudos in vitro sugiram que
eles possam ser suscetíveis a Sulfato de Ceftolozana + Tazobactam
Sódico na ausência de mecanismos de resistência
adquiridos

Bactérias gram-negativas

Citrobacter freundii

Citrobacter koseri

Enterobacter aerogenes

Morganella morganii

Proteus vulgaris

Providencia rettgeri

Providencia stuartii

Serratia liquefacians

Serratia marcescens

As duas opções a seguir estão disponíveis para a
apresentação de pontos de corte de susceptibilidade:

  • Selecione a “Opção A” em caso de alinhamento de LPC aos pontos
    de corte de susceptibilidade CLSI;
  • Selecione a “Opção B” em caso de alinhamento de LPC aos pontos
    de corte de susceptibilidade Eucast.

Opção A – Baseada em pontos de corte de
susceptibilidade CLSI

Tabela 5-A. Critérios interpretativos de
susceptibilidade para Sulfato de Ceftolozana + Tazobactam Sódico
(substância ativa):

S:

 suscetível.

I:

 intermediário.

R:

 resistente.

Um relato de “suscetível” indica ser provável que o
antimicrobiano iniba o crescimento do patógeno caso atinja a
concentração geralmente alcançável no local da infecção. Um relato
de “intermediário” indica que o resultado deve ser considerado
equivocado, e, se o microrganismo não for completamente suscetível
a medicamentos alternativos clinicamente viáveis, o teste deverá
ser repetido. Essa categoria implica em possíveis aplicações
clínicas nos locais do organismo em que o medicamento está
fisiologicamente concentrado. Essa categoria também proporciona uma
zona tampão que evita que pequenos fatores técnicos não controlados
causem discrepâncias importantes de interpretação.

Um relato de “resistente” indica ser improvável que o
antimicrobiano iniba o crescimento do patógeno caso atinja a
concentração geralmente alcançável no local da infecção; outro
tratamento deve ser escolhido.

Controle de qualidade:

Os procedimentos de testes padronizados de susceptibilidade
exigem o uso de controles laboratoriais para monitorar e garantir a
exatidão e precisão dos suprimentos e reagentes usados no ensaio, e
das técnicas dos indivíduos que realizam o teste. O padrão de
ceftolozana e tazobactam em pó deve proporcionar as seguintes
faixas de valores de concentração inibitória mínima (CIM)
apresentadas na Tabela 5-B. Para a técnica de difusão com uso do
disco de 30 mcg de ceftolozana/10 mcg de tazobactam, os critérios
descritos na Tabela 5-B devem ser atendidos.

Tabela 5-B. Faixas aceitáveis de controle de
qualidade para testes de susceptibilidade:

Organismo de controle de qualidade

Concentrações inibitórias mínimas (mcg/mL) (ceftolozana
/ tazobactam)

Disco de difusão / Diâmetros de zona (mm)

Escherichia coli ATCC
25922

0,12/4-0,5/4

24-32

Escherichia coli* ATCC
35218

0,06/4-0,25/4

25-31

Pseudomonas aeruginosa ATCC
27853

0,25/4-1/4

25-31

Haemophilus influenzae† ATCC
49247

0,5/4-2/4

23-29

Klebsiella pneumoniae* ATCC 700603

0,5/4-2/4

17-25

Streptococcus pneumoniae ATCC
49619

0,25/4-1/4

21-29

ATCC:

American Type Culture Collection.
* Armazene as culturas de estoque de E. coli ATCC 35218 e
K. pneumoniae ATCC 700603 em -60°C ou menos e prepare as
culturas de estoque de trabalho semanalmente.
† Esta cepa pode perder seu plasmídeo e desenvolver
susceptibilidade aos agentes antimicrobianos betalactâmicos após
transferências repetidas em meio de cultura. Minimize o efeito
removendo a nova cultura do armazenamento ao menos mensalmente ou
sempre que a cepa começar a demonstrar aumento dos diâmetros de
zona para ampicilina, piperacilina ou ticarcilina.

Opção B – Com base em ponto de corte de
susceptibilidade Eucast

Tabela 5. Pontos de corte de testes de
susceptibilidade:

S:

 suscetível.

R:

 resistente.

Farmacodinâmica

A exemplo de outros agentes antibacterianos betalactâmicos, o
tempo em que a concentração plasmática de ceftolozana excede a CIM
do organismo infectante demonstrou ser o melhor preditor de
eficácia em modelos animais de infecção.

Para o tazobactam, o índice farmacodinâmico associado à eficácia
foi determinado pela porcentagem de intervalo da dose durante o
qual a concentração plasmática de tazobactam excede um valor-limite
(%T gt; limite).

A concentração-limite necessária é dependente do organismo, bem
como da quantidade e do tipo de β-lactamase produzidos. As análises
de exposição-resposta em estudos de fase 2 embasam a dose
recomendada de Sulfato de Ceftolozana + Tazobactam Sódico
(substância ativa).

Eletrofisiologia cardíaca

Em um estudo de QTc completo, randomizado, cruzado, positivo e
controlado com placebo, 51 sujeitos sadios receberam a
administração de uma dose terapêutica única de Sulfato de
Ceftolozana + Tazobactam Sódico (substância ativa) 1,5 grama (1 g
de ceftolozana e 0,5 g de tazobactam) e uma dose supraterapêutica
de Sulfato de Ceftolozana + Tazobactam Sódico (substância ativa) de
4,5 gramas (3 g de ceftolozana e 1,5 g de tazobactam). Não foram
detectados efeitos significativos de Sulfato de Ceftolozana +
Tazobactam Sódico (substância ativa) na frequência cardíaca,
morfologia de eletrocardiograma e nos intervalos PR, QRS ou QT.
Portanto, Sulfato de Ceftolozana + Tazobactam Sódico (substância
ativa) não afeta a repolarização cardíaca.

Farmacocinética

Introdução geral

Os parâmetros farmacocinéticos médios de Sulfato de Ceftolozana
+ Tazobactam Sódico (substância ativa) (ceftolozana e tazobactam)
em adultos sadios com função renal normal após infusões
intravenosas única e múltipla de 1 hora de Sulfato de Ceftolozana +
Tazobactam Sódico (substância ativa) 1,5 grama (1 g de ceftolozana
e 0,5 g de tazobactam) administradas a cada 8 horas são resumidas
na Tabela 6. Os parâmetros farmacocinéticos foram similares para
administração de dose única ou múltipla.

Tabela 6. Parâmetros farmacocinéticos plasmáticos
médios (CV%) de Sulfato de Ceftolozana + Tazobactam Sódico
(substância ativa) (ceftolozana e tazobactam) após infusões
intravenosas únicas e múltiplas de 1 hora de Sulfato de Ceftolozana
+ Tazobactam Sódico (substância ativa) 1,5 g (1 g de ceftolozana e
0,5 g de tazobactam) a cada 8 horas em adultos sadios:

* N = 9, um sujeito discrepante (outlier) foi excluído
das estatísticas descritivas.
† Mediana (mínimo, máximo) apresentada.
‡ AUC do Dia 1 = AUCúltima e AUC do Dia 10 = AUC em
estado de equilíbrio (AUCτ,ss). A AUC diária em estado
de equilíbrio é calculada pela multiplicação dos valores de AUC do
Dia 10 por três (por exemplo, 546 mcg•h/mL para ceftolozana e 75
mcg•h/mL para tazobactam).
§ N = 8, um sujeito excluído das estatísticas descritivas, tendo em
vista que o perfil de concentração-tempo não exibiu fase terminal
log-linear e o t ½ não pôde ser calculado.

A Cmáx e a AUC de ceftolozana e tazobactam aumentam
de forma proporcional à dose. As concentrações plasmáticas de
ceftolozana e tazobactam não aumentam significativamente após
infusões intravenosas múltiplas de Sulfato de Ceftolozana +
Tazobactam Sódico (substância ativa) de até 3 g (2 g de ceftolozana
e 1 g de tazobactam) administradas a cada 8 horas por até 10 dias
em adultos sadios com função renal normal. A meia vida de
eliminação (t½) da ceftolozana é independente da dose.

Distribuição

A ligação de ceftolozana e tazobactam às proteínas do plasma
humano é de aproximadamente 16% a 21% e 30%, respectivamente.

O volume de distribuição médio (CV%) em estado de equilíbrio de
Sulfato de Ceftolozana + Tazobactam Sódico (substância ativa) em
adultos sadios do sexo masculino (n = 51) após uma dose única
intravenosa de Sulfato de Ceftolozana + Tazobactam Sódico
(substância ativa) 1,5 g (1 g de ceftolozana e 0,5 g de tazobactam)
foi de 13,5 L (21%) e 18,2 L (25%) para ceftolozana e tazobactam,
respectivamente, similar ao volume de fluido extracelular.

Metabolismo

A ceftolozana é eliminada principalmente na urina, como fármaco
inalterado e, portanto, não aparenta ser metabolizada em qualquer
extensão significativa. O anel betalactâmico do tazobactam é
hidrolisado para formar o metabólito M1 do tazobactam
farmacologicamente inativo.

Eliminação

A ceftolozana, o tazobactam e o metabólito M1 do tazobactam são
eliminados pelos rins. Após administração de uma dose única de 1
g/0,5 g IV de Sulfato de Ceftolozana + Tazobactam Sódico
(substância ativa) a adultos sadios do sexo masculino, mais de 95%
da ceftolozana foi excretada na urina como fármaco inalterado. Mais
de 80% do tazobactam foi excretado como composto-mãe, tendo sido a
quantidade remanescente excretada como metabólito M1 do tazobactam.
Após uma dose única de Sulfato de Ceftolozana + Tazobactam Sódico
(substância ativa), o clearance renal da ceftolozana (3,41
– 6,69 L/h) foi similar ao clearance plasmático (4,10 –
6,73 L/h) e à taxa de filtração glomerular da fração sem ligação, o
que sugere que a ceftolozana é eliminada pelos rins via filtração
glomerular.

As meias-vidas de eliminação terminal média da ceftolozana e do
tazobactam em adultos sadios com função renal normal são de
aproximadamente 3 horas e 1 hora, respectivamente.

Populações especiais

Insuficiência renal:

A ceftolozana, o tazobactam e o metabólito M1 do tazobactam são
eliminados pelos rins.

A média geométrica de AUC da dose normalizada de ceftolozana
aumentou até 1,26 vez, 2,5 vezes e 5 vezes em sujeitos com
insuficiência renal leve, moderada e grave, respectivamente, em
comparação a sujeitos sadios com função renal normal. A respectiva
média geométrica de AUC da dose normalizada de tazobactam aumentou
aproximadamente até 1,3 vez, 2 vezes e 4 vezes. Para manter
exposições sistêmicas similares às de função renal normal, é
necessário ajuste de dose.

Em sujeitos com doença renal em estágio final (DREF) sob
hemodiálise (HD), aproximadamente dois terços da dose administrada
de Sulfato de Ceftolozana + Tazobactam Sódico (substância ativa)
são removidos por HD. A dose recomendada para sujeitos com DREF em
HD é de uma dose de carga única de Sulfato de Ceftolozana +
Tazobactam Sódico (substância ativa) 750 mg (500 mg de ceftolozana
e 250 mg de tazobactam), seguida por uma dose de manutenção de
Sulfato de Ceftolozana + Tazobactam Sódico (substância ativa) de
150 mg (100 mg de ceftolozana e 50 mg de tazobactam) administrada a
cada 8 horas pelo restante do período de tratamento. Com HD, a dose
deve ser administrada imediatamente após completar-se a
diálise.

Insuficiência hepática:

Como a Sulfato de Ceftolozana + Tazobactam Sódico (substância
ativa) não sofre metabolismo hepático, não se espera que o
clearance sistêmico de Sulfato de Ceftolozana + Tazobactam
Sódico (substância ativa) seja afetado pelo comprometimento
hepático. Não se recomenda o ajuste de dose de Sulfato de
Ceftolozana + Tazobactam Sódico (substância ativa) para indivíduos
com insuficiência hepática.

Idosos:

Em uma análise farmacocinética populacional de Sulfato de
Ceftolozana + Tazobactam Sódico (substância ativa) não foram
observadas tendências clinicamente relevantes na AUC com relação à
idade. Não se recomenda o ajuste de dose de Sulfato de Ceftolozana
+ Tazobactam Sódico (substância ativa) com base apenas na
idade.

Pacientes pediátricos

A segurança e a eficácia em pacientes pediátricos não foram
estabelecidas.

Gênero:

Em uma análise farmacocinética populacional de Sulfato de
Ceftolozana + Tazobactam Sódico (substância ativa), não foram
observadas diferenças clinicamente relevantes na AUC para
ceftolozana (116 homens em comparação a 70 mulheres) e tazobactam
(80 homens em comparação a 50 mulheres).

Não se recomenda o ajuste de dose com base no gênero.

Raça:

Em uma análise farmacocinética populacional de Sulfato de
Ceftolozana + Tazobactam Sódico (substância ativa) não foram
observadas diferenças clinicamente relevantes na AUC para Sulfato
de Ceftolozana + Tazobactam Sódico (substância ativa) em
caucasianos (n = 156) em comparação a outras raças combinadas (n =
30). Não se recomenda o ajuste de dose com base na raça.

Cuidados de Armazenamento do Zerbaxa

Conservar sob refrigeração (temperatura entre 2 e 8°C). Proteger
da luz.

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide
embalagem.

Não use medicamento com o prazo de validade vencido.
Guarde-o em sua embalagem original.

Armazenamento das soluções reconstituídas

Uma vez constituído com água estéril para injeção ou cloreto de
sódio a 0,9% para injeção, a solução reconstituída de Zerbaxa pode
ser mantida por 1 hora antes da transferência e diluição em bolsa
de infusão apropriada.

Após a diluição da solução com cloreto de sódio 0,9% ou dextrose
5%, Zerbaxa é estável por 24 horas quando armazenado em temperatura
ambiente ou por 7 dias quando armazenado sob refrigeração de 2 a
8°C.

Tanto a solução constituída quanto a infusão diluída de Zerbaxa
não devem ser congeladas.

Após preparo com cloreto de sódio a 0,9% ou dextrose 5%, manter
em temperatura ambiente por 24 horas ou sob refrigeração de 2 a 8°C
por 7 dias.

Características físicas

Zerbaxa é um pó estéril para reconstituição, branco a amarelo,
fornecido em embalagens de vidro (frascos). O pó é misturado com
líquido estéril para formar uma solução clara, incolor a amarela,
para infusão.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso
ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no
aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá
utilizá-lo.

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das
crianças.

Dizeres Legais do Zerbaxa

Reg. MS 1.0029.0200

Farm. Resp.:

Fernando C. Lemos
CRF-SP nº 16.243

Importado por:

Merck Sharp amp; Dohme Farmacêutica LTDA.
Rua 13 de Maio, 815
Sousas, Campinas/SP
CNPJ: 45.987.013/0001-34 – Brasil

Contato

MSD On Line 0800-0122232
E-mail: online@merck.com
” www.msdonline.com.br”

Zerbaxa, Bula extraída manualmente da Anvisa.

Remedio Para – Indice de Bulas A-Z.

Compartilhe esta página!

Visualizando 1 post (de 1 do total)
  • Autor
    Posts
  • #14391
    Anônimo
    Convidado

    Zerbaxa Bula

    Compartilhe suas experiências sobre este medicamento com outros usuários.
      • Utilizou este Remédio para?
      • Efeitos colaterais.
      • Resultados.
      • Indicações, sugestões e dicas!
    Acessar a Bula do medicamento.
    Zerbaxa Bula Completa extraída da Anvisa
Visualizando 1 post (de 1 do total)
  • Você deve fazer login para responder a este tópico.
Scroll to top