Ampicilina Neo Quimica Bula

Ampicilina Neo Química

Gram-positivos

Estreptococos alfa e beta-hemolíticos,
Streptococcus pneumoniae,
estafilococos não-produtores de
penicilinase, Bacillus anthracis, Clostridium spp,
Corynebacterium xerosis e a maioria de cepas de
enterococos
.

Gram-negativos

Haemophilus influenzae, Neisseria gonorrhoeae, N.
meningitidis, Proteus mirabilis, Escherichia coli, Salmonella e
Shigella
.

Deste modo pode abranger o tratamento de bronquites,
endocardites, epiglotites, gonorreia, listeriosis, meningites,
otites médias, peritonites, pneumonia, septicemia, febre tifoide e
infecções do trato urinário, sinusite aguda e gastroenterites.

A ampicilina é inativa contra Pseudomonas
aeruginosa
.

Como o Ampicilina – Neo Química
funciona?


A ampicilina pó para suspensão é um antibiótico derivado das
penicilinas com amplo espectro de ação que provoca a morte de
micro-organismos sensíveis.

Contraindicação do Ampicilina – Neo Química

Este medicamento é contraindicado para pacientes que apresentam
hipersensibilidade às penicilinas, pacientes com insuficiência
renal, doenças gastrintestinais (colite ulcerosa, enterite regional
ou colite associada a antibióticos) e infecções causadas por vírus
do grupo herpes, especialmente a mononucleose infecciosa.

Como usar o Ampicilina – Neo Química

Como preparar a suspensão

Para fazer a reconstituição do produto, deve-se colocar água
filtrada aos poucos dentro do frasco, agitando até a suspensão
alcançar a marca indicada no rótulo. Após a reconstituição, o
produto mantém-se estável por 7 (sete) dias, à temperatura
ambiente.

Após reconstituição, cada mL da suspensão conterá 50mg de
ampicilina.

A ampicilina deve ser tomada com o estômago vazio.

Posologia do Ampicilina – Neo Química


Infecções nas vias geniturinárias

Adultos

500mg (de 6 em 6 horas).

Crianças

50 a 100mg/kg/dia (a cada 6 a 8 horas).

Infecções nas vias respiratórias

Adultos

250 a 500mg (de 6 em 6 horas).

Crianças

25 a 50mg/kg/dia (a cada 6 a 8 horas).

Infecções no trato gastrintestinal

Adultos

500mg (de 6 em 6 horas).

Crianças

50 a 100mg/kg/dia (a cada 6 a 8 horas).

Infecções nas meningites bacterianas

Adultos

8 a 14g a cada 24 horas.

Crianças

100 a 200mg/kg/dia.

Para o tratamento das infecções cervicais, uretrais, retais ou
faringeanas provocadas pela Neisseria gonorrhoeae
recomenda-se uma dose única, via oral, da associação 3,5g de
ampicilina com 1,0g de probenecida. Deve-se fazer acompanhamento
(culturas) de 4 a 7 dias para homens e 7 a 14 dias para
mulheres.

As infecções por estreptococos hemolíticos requerem um mínimo de
10 dias de tratamento para evitar manifestações de febre reumática
ou glomerulonefrite.

A posologia para o uso na profilaxia da endocardite bacteriana
deve ser orientada pelo médico.

Recomenda-se aos pacientes dar continuidade ao tratamento por 48
a 72 horas após desaparecimento dos sintomas ou resultados
negativos nos exames laboratoriais.

A interrupção do tratamento pode ocasionar a não obtenção dos
resultados esperados.

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os
horários, as doses e a duração do tratamento.

Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu
médico.

O que devo fazer quando eu me esquecer de usar o
Ampicilina – Neo Química?


Caso você esqueça de tomar o medicamento no horário estabelecido
pelo seu médico, tome-o assim que lembrar. Entretanto, se já
estiver perto do horário de tomar a próxima dose, pule a dose
esquecida e tome a próxima, continuando normalmente o esquema de
doses recomendado pelo seu médico. Neste caso, não tome o
medicamento em dobro para compensar doses esquecidas. O
esquecimento da dose pode comprometer a eficácia do tratamento.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico
ou de seu médico, ou cirurgião-dentista.

Precauções do Ampicilina – Neo Química

Antes do tratamento com ampicilina, o médico deverá realizar
anamnese completa para buscar histórico alérgico, tanto às
penicilinas como às cefalosporinas, e a outros agentes
alergênicos.

Pacientes intolerantes a uma penicilina podem também ser
intolerantes a outras.

Reações de hipersensibilidade sérias e ocasionalmente fatais
foram registradas em pacientes que fizeram uso de penicilina,
embora essas reações sejam mais comuns na terapêutica feita com
injetáveis (via intramuscular).

Deverá ser usado com cautela por pacientes com histórias de
alergia em geral (asma, urticária).

Pessoas com hipersensibilidade a múltiplos alérgenos são mais
suscetíveis a essas reações.

Reações anafiláticas intensas requerem tratamento de emergência
com adrenalina, oxigênio, corticosteroides e controle respiratório
e, se necessário, intubação.

Recomenda-se a realização de testes bacteriológicos para
determinação dos micro-organismos causadores do processo infeccioso
e, também determinação da sensibilidade destes à ampicilina, antes
de iniciar o tratamento.

Em tratamento prolongado pode ocorrer superinfecção por fungos
ou bactérias; neste caso deve-se conduzir uma terapêutica adequada.
Avaliações periódicas das funções renais, hepáticas e
hematopoiética também são indicadas no caso de uso prolongado.

Sugere-se um espaçamento maior da dose para tratamento de
infecções sistêmicas, de 12 a 16 horas, embora doses usuais possam
ser utilizadas para infecções do trato urinário.

Carcinogênese e mutagênese

Não foram realizados estudos de longa duração em animais para
avaliar o potencial carcinogênico. A ampicilina demonstrou-se não
mutagênica no teste de Ames.

Como é excretada pelo leite materno, deve ser administrada com
cautela para mulheres que estão em fase de amamentação. Não são
conhecidas as reações adversas nos lactentes.

A ampicilina não deve ser administrada durante a gravidez e
lactação a não ser que, a critério médico, os benefícios do
tratamento esperados para as mães superem os riscos potenciais para
o feto.

Informe seu médico a ocorrência de gravidez na vigência
do tratamento ou após o seu término.

Informe seu médico se está amamentando.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres
grávidas sem orientação médica ou do
cirurgião-dentista.

Informe seu médico o aparecimento de reações desagradáveis, tais
como reações alérgicas (urticária, coceira, vermelhidão da pele),
náuseas, vômitos e diarreia.

Atenção:

Este medicamento contém Açúcar, portanto deve ser usado com
cautela em portadores de Diabetes.

Pacientes idosos

O uso em pacientes idosos (acima de 60 anos) requer prescrição e
rigoroso acompanhamento médico.

Reações Adversas do Ampicilina – Neo
Química

Reações de hipersensibilidade

Que vão desde erupção cutânea até choque anafilático (1 a 10%);
estas reações ocorrem mais em pacientes que demonstram reação
prévia de hipersensibilidade às penicilinas, ou naqueles com
história de alergia, asma, febre do feno ou urticária.

Efeitos gastrintestinais como glossite, estomatite,
náuseas, vômito, enterocolite, colite pseudomembranosa, diarreia,
podem ser apresentados.

Efeitos hematopoiéticos e linfáticos

Anemia, trombocitopenia, púrpura trombocitopênica, eosinofilia,
leucopenia e agranulocitose.

Efeitos hepáticos

Uma elevação moderada na transaminase glutâmica oxalacética
(TGO) tem sido ocasionalmente notada, particularmente em crianças,
mas seu significado não é conhecido.

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou
farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do
medicamento.

Informe também a empresa através do serviço de
atendimento.

Composição do Ampicilina – Neo Química

Cada mL da suspensão, após reconstituição,
contém:

Ampicilina

50mg

Excipientes* q.s.p.

1mL

*Benzoato de sódio, corante vermelho de eritrosina, essência de
morango, sacarose, citrato de sódio, dióxido de silício, goma
xantana.

Apresentação do Ampicilina – Neo
Química


Pó para suspensão. Embalagens com um frasco contendo 60mL ou
150mL (após reconstituição) + copo dosador.

Via de administração: oral.

Uso adulto e pediátrico.

Superdosagem do Ampicilina – Neo Química

Deve-se procurar atendimento médico caso ocorra ingestão de
altas doses deste medicamento.

As penicilinas apresentam toxicidade direta mínima no homem. É
improvável que efeitos tóxicos graves resultem de ingestão, mesmo
que em altas doses. Em casos de hipersensibilidade, administrar
anti-histamínico e, se necessário, adrenocorticoides sistêmicos.
Pacientes com disfunção renal são mais suscetíveis a alcançar
níveis sanguíneos tóxicos; como não existe um antídoto específico,
o tratamento de superdose deve ser de suporte, tratando os
sintomas. A ampicilina pode ser removida do sangue por hemodiálise,
mas não por diálise peritonial.

A urticária pode ser tratada com corticosteroides por via
oral.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento,
procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do
medicamento, se possível.

Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais
orientações.

Interação Medicamentosa do Ampicilina – Neo
Química

Interações medicamento-medicamento

O uso concomitante com alopurinol pode aumentar a possibilidade
de erupção cutânea, principalmente em pacientes hiperuricêmicos. É
preferível não indicar terapêutica simultânea com fármacos
bacteriostáticos (cloranfenicol, eritromicina, sulfamidas ou
tetraciclinas), pois podem interferir no efeito das penicilinas.
Pode diminuir a eficácia dos anticoncepcionais orais que contenham
estrogênio, tem sido associada também à redução na excreção
urinária de estrógenos endógenos em pacientes grávidas. A
probenecida diminui a secreção tubular renal das penicilinas com
prolongamento da meia-vida de eliminação e aumento da toxicidade. O
uso concomitante com betabloqueadores pode aumentar as chances de
reações anafiláticas.

Interações medicamento-alimento

A ingestão com alimentos pode interferir na absorção da
ampicilina e o uso de bebidas alcoólicas deve ser evitado, devido
às interações medicamentosas.

Interações medicamento-exames laboratoriais

Em diabéticos pode produzir resultado falso positivo em exames
para a determinação de glicose na urina.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está
fazendo uso de algum outro medicamento.

Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico.
Pode ser perigoso para a sua saúde.

Ação da Substância Ampicilina – Neo Química

Resultados de Eficácia


Ampicilina Anidra (substância ativa)
injetável

Overturf e cols. realizaram um estudo clínico comparativo
randomizado envolvendo 86 pacientes (idade entre 11 meses e 60
anos) com meningite bacteriana. Os pacientes foram tratados com
Ampicilina Anidra (substância ativa) ou carbenicilina. Não se
observou diferenças na taxa de resposta aos tratamentos: a média de
duração da antibioticoterapia foi de 13,5 dias para os dois
antibióticos e a duração média da internação foi de 17,1 dias para
a carbenicilina e 16,5 dias para a Ampicilina Anidra (substância
ativa) (p = NS). Nos pacientes com meningite por H.
influenzae
, a cultura do líquor no D1 de antibioticoterapia se
mostrou positiva em 38% dos pacientes tratados com carbenicilina e
em apenas 5,8% daqueles tratados com Ampicilina Anidra (substância
ativa) (plt;0,05). Contudo, não se observou diferença estatística
entre o desfecho dos tratamentos. Em conclusão, a Ampicilina Anidra
(substância ativa) é equivalente à carbenicilina para o tratamento
de meningites bacterianas e constitui uma modalidade terapêutica
eficaz nesta indicação. 1

Kabir e cols. Avaliaram em um estudo duplo-cego controlado com
placebo a resposta clínica e bacteriológica após administração
intravenosa em dose única de ceftriaxona (1g) ou Ampicilina Anidra
(substância ativa) (4g) a pacientes com shiguelose. Os dois
antibióticos promoveram redução da duração da febre e do número de
evacuações, quando comparados com placebo. Somente a Ampicilina
Anidra (substância ativa) se associou a redução do tempo de
coprocultura positiva após administração (1,1 dia versus 2,6 dias,
plt;0,05). Estes resultados indicam que tanto a Ampicilina Anidra
(substância ativa) quanto a ceftriaxona se associam a alguma
melhora clínica nos casos de shiguelose, mas que somente a
Ampicilina Anidra (substância ativa) teve efeito bacteriológico na
eliminação fecal de Shigella sp. 2

Ampicilina Anidra (substância ativa) oral

Gold e cols. realizaram um grande estudo clínico para comparar a
eficácia e segurança da Ampicilina Anidra (substância ativa) com a
ciclacilina, ambas por via oral, para o tratamento de infecções
geniturinárias, de partes moles, respiratórias e otites em
pacientes adultos e pediátricos (N=2.581). A eficácia dos
antibióticos para erradicação dos patógenos e promoção de cura
clínica foi igual, tanto para bactérias Gram + quanto para Gram -.
A Ampicilina Anidra (substância ativa) resultou em resposta clínica
em mais de 90% das infecções de partes moles e das otites médias. A
incidência de diarreia e rash cutâneo foram maiores nos
pacientes tratados com Ampicilina Anidra (substância ativa) em
comparação com a ciclacilina. 3

A Ampicilina Anidra (substância ativa) oral foi comparada com a
claritromicina oral no tratamento de infecções respiratórias em
pacientes com DPOC, num estudo publicado por Aldons. 125 pacientes
com bronquite infectada foram randomizados para tratamento com
claritromicina (250mg 12/12 horas) ou Ampicilina Anidra (substância
ativa) (250mg 6/6 horas), durante 7 a 14 dias. As taxas de cura
clínica foram de 96% para a claritromicina e 91% para a Ampicilina
Anidra (substância ativa) (p = NS), enquanto a cura bacteriológica
foi de 96% para a claritromicina e 100% para a Ampicilina Anidra
(substância ativa) (p = NS). Os principais eventos adversos foram
relacionados ao trato digestivo, e foram reportados em 7-11% dos
pacientes tomando claritromicina e 1-5% dos pacientes tomando
Ampicilina Anidra (substância ativa). O estudo concluiu pela
equivalência entre os antibióticos para o tratamento das bronquites
infectadas.4 Nesta mesma indicação (tratamento de
bronquite infectada), a Ampicilina Anidra (substância ativa) foi
comparada com a cefalexina num estudo envolvendo 111 pacientes.
Observou-se resposta clínica em 91% dos pacientes recebendo
cefalexina e em 96% daqueles tratados com Ampicilina Anidra
(substância ativa). Os eventos adversos foram leves e semelhantes
nos dois grupos, levando aos autores a concluírem pela equivalência
entre os antibióticos com eficácia e segurança.5

Referências: 

1. Overturf GD, Steinberg EA,
Underman AE, et al. Comparative trial of carbenicilin and
ampicillin therapy for purulent meningitis. Antimicrob Agents
Chemother 1977; 11 (3): 420-6.
2. Kabir I, Butler T, Khanam A. Comparative efficacies of single
intravenous doses of ceftriaxone and Ampicilina Anidra for
shigellosis in a placebo-controlled trial. Antimicrob Agents
Chemother 1986; 29(4): 645-8.
3. Gold JA, Hegarty CP, Deitch MW, Walkdr BR. Couble-blind clinical
trials of oral cyclacillin and ampicillin. Antimicrob Agents
Chemother 1979; 15(1):55-8.
4. Aldons PM. A comparison of clarithromycin with ampicillin in the
treatment of outpatients with acute bacterial exacerbation of
chronic bronchitis. J Antimicrob Chemother 1991; 27 Suppl A: 101-
8.
5. Cooke DM, Garrett RT. A double-blind comparison of cephalexin
and ampicillin in the treatment of bronchitis. J Antimicrob
Chemother 1975; 1(3 Suppl):99-103.

Fonte: Bula do Profissional do Medicamento
Amplacilina.

Características Farmacológicas


Farmacodinâmica

Ampicilina Anidra (substância ativa) ou ácido
6[D(-)alfa-aminofenilacetamido] penicilânico, é um antibiótico
bactericida, semisintético, derivado do núcleo fundamental das
penicilinas, o ácido 6-aminopenicilânico.

Relatos de estudos in vitro demonstraram
sensibilidade à Ampicilina Anidra (substância ativa) para os
seguintes microrganismos:

Gram-positivos

Estreptococos alfa e beta-hemolíticos; Streptococcus
pneumoniae
(chamado Diplococcus pneumoniae);
estafilococos não produtores de penicilinase; Bacillus
anthracis, Clostridia sp; Corynebacterium xerosis
e a maioria
das cepas de enterococos.

Gram-negativos

Haemophylus influenzae; Proteus mirabilis e muitas
cepas de Salmonella (incluindo Salmonella
typhosa
); Shigella e Escherichia coli.

Farmacocinética

A Ampicilina Anidra (substância ativa) é estável na presença do
ácido gástrico, sendo bem absorvida pelo trato gastrintestinal.
Difundese rapidamente na maioria dos tecidos e fluidos do
organismo. A penetração no líquor e no cérebro, entretanto, somente
ocorre na presença de inflamação meníngea.

A Ampicilina Anidra (substância ativa) é largamente excretada
sob a forma ativa na urina. De todas as penicilinas é a que se fixa
em menor grau às proteínas plasmáticas. Níveis séricos de
aproximadamente 2,0 mcg/mL foram alcançados 1 a 2 horas após a
administração oral de 250 mg de Ampicilina Anidra (substância
ativa) para indivíduos adultos. Níveis significativos foram
detectados por 6 horas. Os níveis séricos obtidos após injeção
intramuscular são proporcionais à dose administrada. Níveis de
aproximadamente 40,0 mcg/mL foram alcançados meia hora após injeção
de 1.000 mg IM em indivíduos adultos. Níveis mais elevados podem
ser obtidos com a administração endovenosa, dependendo da dose e da
velocidade de infusão.

Fonte: Bula do Profissional do Medicamento
Amplacilina.

Cuidados de Armazenamento do Ampicilina – Neo
Química

Conservar em temperatura ambiente (entre 15 e 30ºC). Proteger da
luz e umidade.

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide
embalagem.

Não use medicamento com o prazo de validade vencido.
Guarde-o em sua embalagem original.

Características do medicamento antes da
reconstituição

Granulado homogêneo branco a levemente róseo e isento de
partículas estranhas.

Cuidados de conservação do medicamento após
reconstituição

A suspensão, após reconstituída, deve ser mantida em temperatura
ambiente por um período máximo de 7 dias.

A suspensão não utilizada durante este período deverá ser
descartada. Agite a suspensão antes de cada administração.

Características do medicamento após
reconstituição

Suspensão homogênea de cor rósea, com odor e sabor
característicos.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso
ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no
aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá
utilizá-lo.

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das
crianças.

Dizeres Legais do Ampicilina – Neo Química

Nº do Lote, Data de Fabricação e Prazo de Validade: vide
embalagem.

Registro M.S. nº 1.5584.0112

Farm. Responsável:

Dr. Marco Aurélio Limirio G. Filho
CRF-GO nº 3.524

Registrado por:

Brainfarma Indústria Química e Farmacêutica S.A.
VPR 3 – Quadra 2-C – Módulo 01-B
DAIA – Anápolis – GO
CEP 75132-015
C.N.P.J.: 05.161.069/0001-10
Indústria Brasileira

Fabricado por:

Brainfarma Indústria Química e Farmacêutica S.A.
VPR 1 – Quadra 2-A – Módulo 4
DAIA – Anápolis – GO
CEP 75132-020

Venda sob prescrição médica. Só pode ser vendido com
retenção da receita.

Ampicilina-Neo-Quimica, Bula extraída manualmente da Anvisa.

Remedio Para – Indice de Bulas A-Z.

Compartilhe esta página!

Remédio Para Fóruns Bulas de Medicamentos Ampicilina Neo Quimica Bula

Visualizando 1 post (de 1 do total)
  • Autor
    Posts
  • #893
    Anônimo
    Convidado

    Ampicilina Neo Quimica Bula

    Compartilhe suas experiências sobre este medicamento com outros usuários.
      • Utilizou este Remédio para?
      • Efeitos colaterais.
      • Resultados.
      • Indicações, sugestões e dicas!
    Acessar a Bula do medicamento.
    Ampicilina Neo Quimica Bula Completa extraída da Anvisa
Visualizando 1 post (de 1 do total)
  • Você deve fazer login para responder a este tópico.
Scroll to top