Bacfar F Bula

Bacfar F

Contraindicação do Bacfar F

Hipersensibilidade a sulfametoxazol e/ou trimetoprima,
furosemida, diuréticos tiazídicos, sulfoniluréias, inibidores da
anidrase carbônica e sulfitos. Crianças menores de 2 meses e
durante a gravidez e amamentação

Como usar o Bacfar F

Como antibacteriano a cada 12 horas:

Adultos: 2 comprimidos ou 20 ml da suspensão Crianças (menos de
12 anos):

6 semanas a 5 meses: 2,5 ml

6 anos a 12 anos: 10 ml

A posologia acima corresponde à média de 20 – 30 mg de

Precauções do Bacfar F

Para diminuir o risco de reações indesejáveis, a duração do
tratamento com Sulfametoxazol + Trimetoprima (substância ativa)
deve ser a menor possível, especialmente em pacientes idosos.

Reações adversas graves

Embora raro, já foi descrito caso fatal relacionado com
reações graves, tais como:

Discrasias sanguíneas, eritema exsudativo multiforme (síndrome
de Stevens-Johnson), necrólise epidérmica tóxica (síndrome de
Lyell), erupção cutânea medicamentosa com eosinofilia e sintomas
sistêmicos (DRESS) e necrose hepática fulminante.

Hipersensibilidade e reações alérgicas

O tratamento deve ser descontinuado imediatamente ao primeiro
sinal de aparecimento de erupção cutânea ou qualquer outra reação
adversa grave.

Sulfametoxazol + Trimetoprima (substância ativa) deve ser
administrado com cautela a pacientes com história de alergia grave
e asma brônquica.

Infiltrações pulmonares relatadas no contexto de alveolite
eosinofílica ou alérgica podem se manifestar através de sintomas
como tosse ou falta de ar. Caso esses sintomas apareçam ou se
agravem inesperadamente, o paciente deve ser reavaliado e a
descontinuação da terapia com Sulfametoxazol + Trimetoprima
(substância ativa) deve ser considerada.

Efeitos renais

Sulfonamidas, incluindo Sulfametoxazol + Trimetoprima
(substância ativa), podem induzir aumento da diurese,
particularmente em pacientes com edema de origem cardíaca.

Uma monitorização do potássio sérico e da função renal é
necessária em pacientes que recebem altas doses de Sulfametoxazol +
Trimetoprima (substância ativa), como é usado em pacientes com
pneumonia por Pneumocystis jirovecii, ou em pacientes com
doenças subjacentes de metabolismo do potássio ou insuficiência
renal e que receberam a dose padrão de Sulfametoxazol +
Trimetoprima (substância ativa) ou que estão recebendo medicações
que induzem hipercalemia.

Populações especiais

Existe maior risco de reações adversas graves em
pacientes idosos ou em pacientes que apresentem as seguintes
condições:

Insuficiência hepática, insuficiência renal ou uso concomitante
de outros fármacos (nesse caso, o risco pode ser relacionado à
dosagem ou duração do tratamento).

Em caso de comprometimento renal, a dose deve ser ajustada.
Pacientes com insuficiência renal grave (ou seja, com depuração da
creatinina 15-30 mL/min) que estão recebendo SMZ-TMP devem ser
monitorados quanto aos sinais e sintomas de toxicidade, tais como
náuseas, vômitos e hipercalemia.

A não ser em casos excepcionais, Sulfametoxazol + Trimetoprima
(substância ativa) não deve ser administrado a pacientes com
alterações hematológicas graves.

Foram relatados casos de pancitopenia em pacientes que receberam
a combinação trimetoprima com metotrexato.

Em pacientes idosos ou em pacientes com história de deficiência
de ácido fólico ou insuficiência renal, podem ocorrer alterações
hematológicas indicativas de deficiência de ácido fólico. Essas
alterações são reversíveis administrando-se ácido folínico.

Devido à possibilidade de hemólise, Sulfametoxazol +
Trimetoprima (substância ativa) não deve ser administrado a
pacientes portadores de deficiência de G6PD (desidrogenase de
glicose-6-fosfato), a não ser em casos de absoluta necessidade e em
doses mínimas.

Como com todos os fármacos com sulfonamidas, é aconselhável ter
cuidado com pacientes com porfiria ou disfunção da tireoide.

Pacientes que são acetiladores lentos podem ser mais suscetíveis
a reações idiossincráticas às sulfonamidas.

Tratamento de uso prolongado

Pacientes em uso prolongado de Sulfametoxazol + Trimetoprima
(substância ativa) devem fazer controle regular de hemograma. Caso
surja redução significativa de qualquer elemento figurado do
sangue, o tratamento com Sulfametoxazol + Trimetoprima (substância
ativa) deve ser descontinuado.

Pacientes em uso prolongado de Sulfametoxazol + Trimetoprima
(substância ativa) devem fazer exame de urina e avaliação da função
renal (em particular, pacientes com insuficiência renal)
regularmente. É necessário o monitoramento da ingestão adequada de
líquidos e diurese durante o tratamento, para evitar cristalúria.
Notou-se que o TMP prejudica o metabolismo da fenilalanina, mas
isso não é significativo em pacientes fenilcetonúricos com
restrição dietética apropriada.

Gravidez e lactação

Categoria de risco na gravidez: C. Este medicamento não
deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou
do cirurgião-dentista.

O risco de malformações no nascimento não foi consistentemente
demonstrado com terapia com cotrimoxazol (componente do
Sulfametoxazol + Trimetoprima (substância ativa)) em mulheres
durante o começo da gravidez. Dois grandes estudos observacionais
sugeriram um aumento de 2 a 3,5 vezes do risco de aborto espontâneo
em mulheres tratadas apenas com TMP e em combinação com SMZ durante
o primeiro trimestre em comparação com nenhuma exposição a
antibióticos ou exposição a penicilinas.

Estudos em animais mostraram que doses muito elevadas de
cotrimoxazol produziram malformações fetais típicas de antagonismo
de ácido fólico.

Uma vez que tanto TMP como SMZ atravessam a barreira placentária
e podem, portanto, interferir no metabolismo do ácido fólico,
Sulfametoxazol + Trimetoprima (substância ativa) somente deverá ser
utilizado durante a gravidez se os possíveis riscos para o feto
justificarem os benefícios terapêuticos esperados. Recomenda-se que
todas as gestantes, ou mulheres que pretendem engravidar recebam
concomitantemente 5 a 10 mg de ácido fólico diariamente durante o
tratamento com Sulfametoxazol + Trimetoprima (substância ativa).
Deve-se evitar o uso de Sulfametoxazol + Trimetoprima (substância
ativa) durante o último estágio da gravidez, tanto quanto possível,
devido ao risco de kernicterus no neonato.

Tanto TMP como SMZ são excretados no leite materno. Embora a
quantidade ingerida pelo lactente seja pequena, possíveis riscos
para o lactente (kernicterus, hipersensibilidade) devem ser
ponderados frente aos benefícios terapêuticos esperados para a
mãe.

Atenção: Sulfametoxazol + Trimetoprima (substância
ativa) suspensão (5mL) de 200 mg + 40 mg contém açúcar, portanto,
deve ser usado com cautela em portadores de diabetes.

Até o momento, não há informações de que Sulfametoxazol +
Trimetoprima (substância ativa) possa causar doping.

Fonte: Bula do Profissional do
Medicamento Bactrim®.

Reações Adversas do Bacfar F

Nas doses recomendadas, Sulfametoxazol + Trimetoprima
(substância ativa) é geralmente bem tolerado. Os efeitos colaterais
mais comuns são as erupções cutâneas e os distúrbios
gastrintestinais.

As categorias utilizadas como padrões de frequência são
as seguintes:

  • Muito comum ≥ 1/10;
  • Comum ≥ 1/100 e lt; 1/10;
  • Incomum ≥ 1/1.000 e lt; 1/100;
  • Raro ≥ 1/10.000 e lt; 1/1.000;
  • Muito raro lt; 1/10.000;
  • Desconhecido (não pode ser estimado a partir dos dados
    disponíveis).

Efeitos adversos relatados nos pacientes tratados com
Sulfametoxazol + Trimetoprima (substância ativa)

Frequência

Reação adversa

Distúrbios do sangue e sistema linfático

Raro

Leucopenia, granulocitopenia,
trombocitopenia, anemia (megaloblástica, hemolítica / autoimune,
aplástica)

Muito raro

Metahemoglobine mia, agranulocitose,
pancitopenia

Distúrbios cardíacos

Muito raro

Miocardite alérgica

Distúrbios congênitos e gravidez, puerpério e condições
perinatais

Desconhecido

Aborto espontâneo

Distúrbios do ouvido e labirinto

Muito raro

Zumbido, vertigem

Distúrbios oculares

Muito raro

Uveíte

Desconhecido

Vasculite retiniana

Desordens gastrintestinais

Comum

Náuseas, vômitos

Incomum

Diarreia, colite pseudomembran os

Raro

Glossite, estomatite

Desconhecido

Pancreatite aguda

Distúrbios hepatobiliares

Comum

Transaminases elevadas

Incomum

Bilirrubina elevada, hepatite

Raro

Colestase

Muito raro

Necrose hepática

Desconhecido

Síndrome do desaparecimento do ducto
biliar

Distúrbios do sistema imunológico

Muito raro

Reações alérgicas/ hipersensibilidade
(febre, angioedema, reações anafilactoides, doença do soro)

Infecções e infestações

Incomum

Infecções fúngicas, como
candidíase

Investigações

Desconhecido

Hipercalemia, hiponatremia

Distúrbios de nutrição e metabolismo

Raro

Hipoglicemia

Distúrbios do tecido conectivo e
musculoesquelético

Muito raro

Rabdomiólise

Desconhecido

Artralgia, mialgia

Distúrbios do sistema nervoso

Incomum

Convulsões

Raro

Neuropatia (incluindo parestesia e
neurite periférica)

Muito raro

Ataxia, meningite asséptica / sintomas
como de meningite

Desconhecido

Vasculite cerebral

Transtornos psiquiátricos

Raro

Alucinações

Distúrbios renais e urinários

Comum

Ureia elevada, creatinina sérica
elevada

Incomum

Insuficiência renal

Raro

Cristalúria

Muito raro

Nefrite intersticial, aumento da
diurese

Distúrbios respiratórios, torácicos e do
mediastino

Muito raro

Infiltrações pulmonares

Desconhecido

Vasculite pulmonar

Distúrbios de pele e do tecido subcutâneo

Comum

Erupção medicamentosa fixa, dermatite esfoliativa, erupção
cutânea, exantema maculo-papular, exantema morbiliforme, eritema,
prurido

Incomum

Urticária

Muito raro

Eritema multiforme, fotossensibilidade , síndrome de Stevens
Johnson, necrólise epidérmica tóxica, erupção cutânea com
eosinofilia e sintomas sistêmicos

Distúrbios vasculares

Muito raro

Púrpura, púrpura de
HenochSchönlein

Desconhecido

Vasculite, vasculite necrotizante, granulomatose com
poliangeíte, poliarterite nodosa

Descrição de eventos adversos selecionados

A maioria das alterações hematológicas observadas tem sido leve,
assintomática e reversível na retirada da terapia. Como com
qualquer outro medicamento, reações alérgicas podem ocorrer em
pacientes com hipersensibilidade aos componentes do medicamento. As
reações de pele mais comuns observadas com Sulfametoxazol +
Trimetoprima (substância ativa) foram geralmente leves e
rapidamente reversíveis após a retirada da medicação.

Infiltrações pulmonares relatadas no contexto da alveolite
alérgica ou eosinofílica podem se manifestar através de sintomas
como tosse ou falta de ar.

Altas doses de TMP, como usado em pacientes com pneumonia por
Pneumocystis jirovecii, induzem a um progressivo, mas reversível,
aumento de concentração sérica de potássio em um número substancial
de pacientes. Mesmo em doses recomendadas, TMP pode causar
hipercalemia quando administradas a pacientes com doenças
subjacentes de metabolismo do potássio ou insuficiência renal, ou
que estão recebendo medicamentos que induzem hipercalemia.

Foram notificados casos de hipoglicemia em pacientes não
diabéticos tratados com SMZ-TMP, geralmente após alguns dias de
terapia (vide item Interações Medicamentosas). Pacientes com
deficiência de função renal, doença hepática ou desnutrição ou
recebendo altas doses de TMP-SMZ estão particularmente em
risco.

Vários dos pacientes com pancreatite aguda tinham doenças
graves, incluindo a aids (síndrome de imunodeficiência
adquirida).

Segurança de Sulfametoxazol + Trimetoprima (substância
ativa) em pacientes infectados pelo HIV

Os pacientes portadores de HIV têm o espectro de possíveis
eventos adversos similar ao espectro dos pacientes não infectados.
Entretanto, alguns eventos adversos podem ocorrer com frequência
maior e com quadros clínicos diferenciados.

Essas diferenças relacionam-se aos seguintes
sistemas:

Frequência

Reação adversa

Distúrbios do sangue e sistema linfático

Muito comum

Leucopenia, granulocitopenia,
trombocitopenia

Distúrbios gastrintestinais

Muito comum

Anorexia, náuseas, vômitos,
diarréia

Distúrbios gerais e condições no local de
administração

Muito comum

Febre (geralmente em conjunto com
exantema maculopapular)

Distúrbios hepatobiliares

Muito comum

Transaminases elevadas

Investigações

Muito comum

Hipercalemia

Incomum

Hiponatremia

Distúrbios de nutrição e metabolismo

Incomum

Hipoglicemia

Distúrbios de pele e do tecido subcutâneo

Muito comum

Exantema maculopapular, prurido

Em casos de eventos adversos, notifique ao Sistema de
Notificação de Eventos Adversos a Medicamentos – VIGIMED,

Bacfar-F, Bula extraída manualmente da Anvisa.

Remedio Para – Indice de Bulas A-Z.

Compartilhe esta página!

Remédio Para Fóruns Bulas de Medicamentos Bacfar F Bula

Visualizando 1 post (de 1 do total)
  • Autor
    Posts
  • #1457
    Anônimo
    Convidado

    Bacfar F Bula

    Compartilhe suas experiências sobre este medicamento com outros usuários.
      • Utilizou este Remédio para?
      • Efeitos colaterais.
      • Resultados.
      • Indicações, sugestões e dicas!
    Acessar a Bula do medicamento.
    Bacfar F Bula Completa extraída da Anvisa
Visualizando 1 post (de 1 do total)
  • Você deve fazer login para responder a este tópico.
Scroll to top