Folifer Bula

Folifer

Também é indicado para a prevenção de defeitos do tubo neural,
durante o período periconcepcional (3 meses antes de engravidar e
durante os 3 primeiros meses de gravidez).

Como o Folifer funciona?


Este medicamento age como um suplemento de ferro e ácido fólico
para suprir as necessidades em pacientes que estão necessitando de
um maior aporte nutricional como gestantes ou pacientes com anemias
causadas pela carência dessas substâncias.

Contraindicação do Folifer

Folifer é contraindicado em pacientes que apresentam
hipersensibilidade (alergia) a qualquer componente da formulação.
Não deve ser usado em pacientes com deficiência da vitamina B12, em
anemias não ferroprivas, particularmente aquelas caracterizadas por
acúmulo ou incapacidade de utilização do ferro, tais como
hemocromatose, anemia falciforme, anemia hemolítica, anemias
sideroblásticas, anemias do chumbo, talassemia, anemias por tumores
ou infecções (sem deficiência de ferro), anemias associadas à
leucemia. Não se recomenda o ácido fólico no tratamento da anemia
perniciosa, nem de outras anemias megaloblásticas devido a uma
deficiência de vitamina B12.

Como usar o Folifer

Ingerir 1 (um) comprimido revestido ao dia, com um pouco de água
para facilitar a deglutição. É recomendado tomar o comprimido
próximo ao horário da refeição.

Percentuais de IDR (Ingestão Diária Recomendada) de
doses terapêuticas

 

Bisglicinato Ferroso

Ácido Fólico

Quantidade por comprimido

150 mg (eq. a 30 mg de
ferro elementar)

5 mg

Idade

 IDR*

Adultos

214%

2083%

Gestantes

111%

1408%

Lactantes

200%

1695%

*Teor percentual dos componentes na dose diária
máxima preconizada, relativa a IDR (Ingestão Diária Recomendada)
para adultos, segundo RDC nº 269/05.

Dose diária máxima:

1 comprimido.

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os
horários, as doses e a duração do tratamento. Não interrompa o
tratamento sem o conhecimento do seu médico.

Este medicamento não deve ser partido ou
mastigado.

O que devo fazer quando eu me esquecer de usar o
Folifer?


Caso haja esquecimento da ingestão de uma dose deste
medicamento, retome a posologia prescrita sem a necessidade de
suplementação.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico
ou de seu médico, ou cirurgião-dentista.

Precauções do Folifer

Folifer deve ser administrado com cautela na presença de
alcoolismo, hepatite, infecções agudas e estados inflamatórios do
trato gastrointestinal como enterite, colite ulcerativa,
pancreatite e úlcera péptica.

A ingestão excessiva de álcool, aumenta a probabilidade de
efeitos colaterais, quando em uso prolongado.

A administração do produto em pacientes submetidos a transfusões
repetidas de sangue deve ser realizada sob rigoroso controle médico
e observação do quadro sanguíneo. Doses muito altas de ácido fólico
podem ocasionar convulsões em pacientes epilépticos tratados com
fenitoína. Doses de ácido fólico acima de 100 μg/dia podem mascarar
casos de anemia perniciosa (as características hematológicas
normalizam, contudo os danos neurológicos progridem).

Reações Adversas do Folifer

Este medicamento é bem tolerado.

Reações adversas do ferro:

Reação rara (ocorre entre 0,01% e 0,1% dos pacientes que
utilizam este medicamento):

Sensação de plenitude (empachamento), dores de estômago,
vômitos, náuseas, constipação (prisão de ventre) ou diarreia são
frequentemente observados com o uso dos sais ferrosos
inorgânicos.

Reação muito rara (ocorre em menos de 0,01% dos
pacientes que utilizam este medicamento):

Reações alérgicas como sensação de calor, vermelhidão,
taquicardia, erupções cutâneas, ocorrem quase que exclusivamente em
indivíduos reconhecidamente alérgicos aos sais de ferro.

Reações adversas do ácido fólico:

Reação comum (ocorre entre 1% e 10% dos pacientes que
utilizam este medicamento):

Gastrointestinais:

Gosto ruim na boca, perda de apetite, náuseas, distensão
abdominal e flatulência. Neurológicas: confusão.

Psiquiátricas:

Irritabilidade, perturbação no padrão de sono.

Reação incomum (ocorre entre 0,1% e 1% dos pacientes que
utilizam este medicamento):

Eritema, prurido e/ou urticária, contudo, em poucos dias esses
sintomas desaparecem com a suspensão do uso.

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou
farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do
medicamento. Informe também à empresa através do seu serviço de
atendimento.

Composição do Folifer

Apresentações:

Comprimido revestido:

Caixa com 8 e 30 comprimidos revestidos.

Uso oral.

Uso adulto.

Composição:

Cada comprimido revestido contém:

Bisglicinato de Ferroso*

150,00 mg

Ácido Fólico

5,00 mg

*Equivalente a 30 mg de ferro elementar.

Excipientes:

celulose + lactose, celulose microcristalina, croscarmelose
sódica, estearato de magnésio, álcool isopropílico, macrogol,
talco, dióxido de titânio, vermelho allura 129 laca de alumínio,
copolímero de metacrilato de butila metacrilato de
dimetilaminoetila e metacrilato de metila e água para
injetáveis.

Superdosagem do Folifer

A ingestão de doses maiores do que a indicada pode causar
náuseas, vômitos, diarreia e sensação de empachamento.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento,
procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do
medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você
precisar de mais orientações.

Interação Medicamentosa do Folifer

A ingestão excessiva de ferro e ácido fólico pode interferir com
a absorção intestinal do zinco. É recomendável evitar a
administração de Folifier com antibióticos a base de tetraciclina.
Corticosteroides, analgésicos, anticonvulsivantes, estrógenos,
sulfonamidas, metotrexato, pirimetamina, triantereno, trimetoprima,
carbamazepina e acetoaminofeno podem interferir no efeito do ácido
fólico.

Interações com exames laboratoriais e não
laboratoriais:

A concentração plasmática de bilirrubina revela-se falsamente
elevada, o cálcio plasmático falsamente diminuído, o exame de
sangue oculto nas fezes torna-se dificultoso, pois o ferro escurece
as fezes. Pode ocorrer o aparecimento de coloração amarelada na
urina, porém sem significância clínica.

O ácido fólico pode interferir em diversos exames, entre
eles:

A dosagem de açúcar, glicemia, glicosúria, transaminases,
creatinina, desidrogenase lática, ácido úrico, bilirrubina e sangue
oculto nas fezes.

Atenção: Este medicamento contém o corante laca alumínio
vermelho nº. 40 que pode, eventualmente, causar reações
alérgicas.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está
fazendo uso de algum outro medicamento.

Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico.
Pode ser perigoso para a sua saúde.

Interação Alimentícia do Folifer

Ferro Aminoácido quelato + Ácido fólico (substância ativa) não
tem sua absorção prejudicada pela presença de alimentos, sendo
inclusive recomendada sua administração próxima às refeições.

Ação da Substância Folifer

Resultados de Eficácia


Estudo realizado em adolescentes grávidas demonstrou que o uso
de suplementos contendo ferro associado ao ácido fólico e
ferro/ácido fólico/zinco reduziu a prevalência de anemias e de
baixos valores nas concentrações plasmáticas destes componentes.
(NOGUEIRA et al. Caderno de Saúde Pública,
19(1): 155-160, 2003). 

Características Farmacológicas 

O ácido fólico medicamentoso é conhecido também como ácido
pteroilglutâmico. Difere essencialmente do ácido fólico alimentar,
uma vez que está sob a forma monoglutamato, enquanto que o ácido
fólico contido nos alimentos está sob a forma poliglutamato. Uma
vez absorvido, o ácido fólico se transforma rapidamente na sua
principal forma ativa, o ácido tetrahidrofólico, o qual é essencial
para a eritropoiese normal e para a síntese de nucleoproteínas na
multiplicação celular de todos os tecidos, já que o mesmo é
indispensável à síntese do DNA.

A união do ácido fólico às proteínas é extensa; armazena-se, em
grande proporção, no fígado (onde é metabolizado); sua eliminação
é, basicamente, por via renal. A taxa de excreção é proporcional as
doses administradas. Doses pequenas como 0,2 mg tem um
aproveitamento biológico total. Doses elevadas, acima de 15mg, tem
uma taxa de excreção que varia entre 50 e 90%.

Absorção do ferro aminoácido quelato 

Os minerais quelatos, de uma forma geral, não sofrem ionização
no tubo gastrointestinal devido a sua estabilidade no pH ácido do
estômago e no pH alcalino no intestino delgado. Ferro Aminoácido
Quelato + Ácido Fólico (substância ativa), ao contrário dos outros
produtos compostos por sais ferrosos, não tem sua absorção
prejudicada por componentes da dieta como ftatos, oxalatos e
fibras. O ferro quelato é absorvido como tal, ocupando sistemas
enzimáticos da absorção preexistentes
(gama-glutamil-transpeptidase). A ação enzimática sobre o ferro
aminoácido quelato permite que este composto alcance o interior da
célula e daí seja transferido para o sangue e distribuído para
órgãos como medula óssea, baço, fígado e para as próprias hemácias.
No fígado é armazenado como ferritina. A absorção do ferro quelato
é 3 vezes superior a do sulfato ferroso.

Reservas orgânicas de ferro

A melhor absorção do Ferro Aminoácido Quelato + Ácido Fólico
(substância ativa) permite uma maior biodisponibilidade do ferro
terapêutico e consequentemente uma maior rapidez na saturação das
reservas orgânicas com menores doses de ferro quelato. Atinge-se
este objetivo em 4 a 6 semanas de terapêutica (com o sulfato
ferroso, estas reservas são saturadas em 4 a 6 meses de tratamento
e com doses 3 a 4 vezes maiores).

Cinética do ferro

O ferro é absorvido pela mucosa intestinal e fica disposto no
seu interior sob duas formas uma mais estável, ligada à
ferritina, e outra mais lábil que é mobilizada quando necessário.
Parte do ferro ligado à ferritina pode ser utilizado na medula para
a síntese de hemoglobina. Na gestante, o ferro é transportado pela
transferrina materna, alcança as vilosidades placentárias onde é
captado pelo epitélio coriônico e armazenado, para em seguida se
ligar a transferrina do feto para ser utilizado na produção das
hemácias.

Ácido fólico associado ao ferro 

O tratamento da anemia por deficiência de ferro e ácido fólico
exige duas etapas para uma real eficiência terapêutica. Uma
refere-se à multiplicação celular em nível de medula óssea, fato
que ocorre quando há suprimento de ácido fólico para a duplicação
do DNA. A outra se refere à incorporação do ferro à molécula da
hemoglobina. Para tanto é necessário que este oligoelemento alcance
os tecidos formadores dos glóbulos vermelhos em concentrações
adequadas. O conhecimento destas necessidades exigia um medicamento
no qual fosse possível associar estas duas substâncias.

A não dissociação iônica do ferro quelato permitiu elaborar um
produto com ferro associado ao ácido fólico de alta estabilidade,
bem tolerado pelo sabor agradável, de posologia bastante
simplificada e resposta terapêutica com doses e intervalos de tempo
inferiores aos exigidos pelos sais comuns. As anemias ferroprivas
originadas tanto por baixa ingestão de ferro como por situações
fisiológicas em que a demanda deste íon é excessiva, nem sempre,
portanto, vão responder a simples administração de ferro, isto
porque, muitas vezes, ela vai estar associada à deficiência também
de ácido fólico.

Assim, crianças prematuras estão predispostas a desenvolver
anemia ferropriva por não ter sido possível armazenar ferro devido
à interrupção precoce da gravidez, mas por outro lado a necessidade
de ácido fólico nestas crianças é extremamente elevada pela
multiplicação celular que ocorre durante o crescimento. As
gestantes e lactantes apresentam uma demanda excessiva tanto do
ácido fólico como do ferro. Na gestação, o ácido fólico é
importante na prevenção das malformações do tubo neural.

Cuidados de Armazenamento do Folifer

Conserve este medicamento em temperatura ambiente (entre 15 e
30º C), protegido da luz e umidade.

Nestas condições, o medicamento se manterá próprio para o
consumo, respeitando o prazo de validade indicado na embalagem.

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide
embalagem.

Não use medicamento com prazo de validade vencido.
Guarde-o em sua embalagem original.

Aspecto físico:

Comprimido revestido redondo de coloração rosa

Características organolépticas:

Comprimido revestido com odor característico.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso
ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no
aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá
utilizá-lo.

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das
crianças.

Dizeres Legais do Folifer

M.S. nº 1.5819.0009.

Farm. Resp.:

Dr. Gustavo Brota.
CRF-SP nº 61.387.

Arese Pharma Ltda.

Rua Marginal à Rodovia Dom Pedro I, 1081.
Caixa Postal: 4117.
CEP:13273-902, Valinhos-SP.
CNPJ: 07.670.111/0001-54.
Indústria Brasileira.

SAC – 0800 770 79 70.

Venda sob prescrição médica.

Folifer, Bula extraída manualmente da Anvisa.

Remedio Para – Indice de Bulas A-Z.

Compartilhe esta página!

Visualizando 1 post (de 1 do total)
  • Autor
    Posts
  • #6483
    Anônimo
    Convidado

    Folifer Bula

    Compartilhe suas experiências sobre este medicamento com outros usuários.
      • Utilizou este Remédio para?
      • Efeitos colaterais.
      • Resultados.
      • Indicações, sugestões e dicas!
    Acessar a Bula do medicamento.
    Folifer Bula Completa extraída da Anvisa
Visualizando 1 post (de 1 do total)
  • Você deve fazer login para responder a este tópico.
Scroll to top