Vitamina B1 Neo Quimica Bula

Vitamina B1 Neo Química

Como o Vitamina B1 – Neo Química
funciona?


A vitamina B1 participa de processos metabólicos importantes do
sistema nervoso, coração, células do sangue, músculos e também do
metabolismo de carboidratos. A sua deficiência está associada com a
falta de apetite, fraqueza, irritabilidade, alterações na função
cardíaca e anormalidades neurológicas

Contraindicação do Vitamina B1 – Neo
Química

Este medicamento é contraindicado em pacientes com antecedentes
de hipersensibilidade a qualquer um dos componentes da fórmula.

Como usar o Vitamina B1 – Neo Química

Uso oral.

Um a dois (1 a 2) comprimidos revestidos ao dia, ou a critério
médico.

Não ultrapasse a dose máxima diária de 2 comprimidos ao dia.

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os
horários, as doses e a duração do tratamento. Não interrompa o
tratamento sem o conhecimento do seu médico.

Este medicamento não deve ser partido, aberto ou
mastigado.

O que devo fazer quando eu me esquecer de usar
o Vitamina B1 – Neo Química?


Se você se esquecer de tomar uma dose do medicamento, retome o
seu uso da maneira recomendada. Não tome a dose dobrada para
compensar a dose esquecida.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico
ou de seu médico, ou cirurgião-dentista.

Precauções do Vitamina B1 – Neo Química

Lactantes e nutrizes com deficiências graves de tiamina devem
evitar amamentação devido ao metilglioxal tóxico presente no
leite.

Não deve ser administrado por períodos prolongados em doses
superiores às recomendadas.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres
grávidas sem orientação médica ou do
cirurgião-dentista.

O uso em pacientes idosos (acima de 60 anos) requer
prescrição e acompanhamento médico.

Reações Adversas do Vitamina B1 – Neo
Química

Reações comuns (ocorrem entre 1% e 10% dos pacientes que
utilizam este medicamento)

Dor de estômago, calor, inquietação, suor e fraqueza. Reações
alérgicas como coceira, dificuldade de respirar, urticária e edema
(inchaço).

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou
farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do
medicamento. Informe também à empresa através do seu serviço de
atendimento.

Composição do Vitamina B1 – Neo Química

Cada comprimido revestido contém:

Cloridrato de tiamina (Vitamina
B1)

353,22mg (50.000%)* (equivalente a
300mg de tiamina)

Excipientes q.s.p

1 comprimido revestido

Excipientes: 

povidona, estearato de magnésio, copolímero de ácido metacrílico
e metacrilato de etila, talco, dióxido de titânio, citrato de
trietila, silicona, polissorbato 80, macrogol e hidróxido de
sódio.

(*) Teor percentual do componente na posologia máxima indicada
na bula (2 comprimidos revestidos) relativo à Ingestão Diária
Recomendada.

Apresentação do Vitamina B1 – Neo
Química


Comprimido revestido. Embalagem contendo 30 comprimidos
revestidos.

Via de administração: Oral.

Uso adulto.

Superdosagem do Vitamina B1 – Neo Química

Elevadas doses podem causar dor de cabeça, náuseas,
irritabilidade, insônia, taquicardia, dificuldade de respirar,
fraqueza e sudorese excessiva.

Devido à elevada margem de segurança, não há relatos de
superdose com a vitamina B1 Neo Química.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento,
procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do
medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você
precisar de mais orientações.

Interação Medicamentosa do Vitamina B1 – Neo
Química

Não há relatos de interações com a vitamina B1 (via oral) com
outros medicamentos. Também não há dados referentes às interações
com alimentos e testes laboratoriais.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está
fazendo uso de algum outro medicamento.

Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico.
Pode ser perigoso para a sua saúde.

Ação da Substância Vitamina B1 – Neo Química

Resultados de Eficácia


O Cloridrato de Tiamina (substância ativa) tem inúmeras
indicações objetivando a suplementação de vitamina B1 em situações,
nas quais, por diferentes causas, ocorre sua deficiência
clinicamente manifesta, ou subclínica. Assim sendo, este
medicamento tem indicações em planos de suplementação.

Abbas concluiu, neste estudo, que a neuropatia periférica
sintomática é comum em pacientes diabéticos, nos quais há uma alta
incidência da deficiência de Cloridrato de Tiamina (substância
ativa) (vitamina B1). A suplementação das vitaminas do complexo B
deve se considerada nestes pacientes. ABBAS, Z.G., SWAI, A.B.
Evaluation of the efficacy of thiamine and pyridoxine in the
treatment of symptomatic diabetic peripheral neuropathy.
EasstAfrMed J, v.74, n.12, p.803 – 808, dec. 1997.

Ishibashi e colaboradores relatam encefalopatia de
Wernicke-Korsakoff e polineuropatia aguda por deficiência de
Cloridrato de Tiamina (substância ativa) em pacientes submetidos à
gastroplastia para tratamento de obesidade. ISHIBASHI, S., et al.
Reversible acute axonal polyneuropathy associated with
Wernicke-Korsakoff Syndrome: impaired physiological nerve
conduction due to thiamine deficiency. J NeurolNeurosurg, v.74,
n.5, p.674 – 676, may. 2003

A hiperglicemia, induz a uma disfunção endotelial. O Cloridrato
de Tiamina (substância ativa) inibe esta disfunção endotelial
causada pela hiperglicemia. Este estudo especula a possibilidade do
Cloridrato de Tiamina (substância ativa) retardar as complicações
vasculares ocorridas no diabetes. ASCHER, E., et al. Thiamine
reverse hyperglycemia-induced dysfunction in culture endothelias
cells. Surgery, v.130, n.5, p.851 – 858, nov. 2001.

Fonte: Bula do Profissional do Medicamento Cloridrato de
Tiamina – Hipolabor.

Características Farmacológicas


Propriedades Farmacodinâmicas

A vitamina B1 participa ativamente do metabolismo de glicídios,
lipídios e proteínas. É também indispensável aometabolismo do
tecido nervoso e muscular, devido à sua intervenção, em vários
estágios, nas fases energéticas e hormonais da função
neuromuscular.

A carência de vitamina B1 pode ser resultado de diversos
mecanismos: falta de ingestão, problemas na absorção intestinal,
aumento das necessidades ou perdas. Esses fatores podem estar
associados dependendo das circunstâncias.

Os primeiros sinais de carência de vitamina B1 são de natureza
psíquica, tais como alterações do humor e da capacidade
intelectual, podendo seguir sintomas de um estado depressivo,
anorexia, neuroastenia, parestesias, debilidade neuromuscular,
distúrbios digestivos, cardiovasculares e outros. Em estágio mais
avançado, ocorre processo inflamatório e degenerativo dos nervos
motores e sensitivos (polineurite). A forma mais grave de carência
da vitamina B1 é o beribéri que se manifesta em 3 formas: seca
(neuropatia periférica), úmida (miocardite) e cerebral
(encefalopatia). Podem surgir também outras alterações como
paralisias, ataxia, degeneração muscular, dispneia e insuficiência
cardíaca.

Pirofosfato de Cloridrato de Tiamina (substância ativa) é a
forma fisiologicamente ativa desta vitamina. Forma-se pela
combinação do Cloridrato de Tiamina (substância ativa) com o enzima
Cloridrato de Tiamina (substância ativa) difosfoquinase e uma
molécula de ATP. Age como coenzima essencial ao metabolismo dos
carboidratos (descarboxilação de piruvato e alfa-cetoglutarato;
utilização de pentose na derivação da hexose monofosfato). Esta
última função envolve a enzima transcetolase, dependente de
pirofosfato de Cloridrato de Tiamina (substância ativa).

Propriedades Farmacocinéticas

Após ter sido absorvida, principalmente na porção superior do
duodeno, a vitamina B1 é transformada em pirofosfato de Cloridrato
de Tiamina (substância ativa) que é sua forma ativa e atua em
diversas reações metabólicas dos hidratos de carbono como uma
coenzima na descarboxilação. É excretada sob a forma de metabólitos
(uma pequena fração inalterada), sendo a maior parte através dos
rins. A taxa sanguínea normal de vitamina B1 está compreendida
entre 2 a 4μg/100mL.

A carência em Cloridrato de Tiamina (substância ativa) está
diretamente relacionada ao aporte de glicídios
(0,4mg/1000kcal).

Em caso de alimentação rica em glicídios, o aporte de vitamina
B1 deve ser adaptado.

Fonte: Bula do Profissional do Medicamento Cloridrato de
Tiamina – Hipolabor.

Cuidados de Armazenamento do Vitamina B1 – Neo
Química

Conservar em temperatura ambiente (entre 15 e 30°C). Proteger da
luz e umidade.

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide
embalagem.

Não use medicamento com o prazo de validade vencido.
Guarde-o em sua embalagem original.

Características do medicamento

Vitamina B1 Neo Química apresenta-se como comprimido revestido,
circular e branco.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso
ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no
aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá
utilizá-lo.

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das
crianças.

Dizeres Legais do Vitamina B1 – Neo Química

Registro M.S. nº 1.5584.0164

Farm. Responsável:

Rodrigo Molinari Elias
CRF-GO nº 3.234

Registrado por:

Brainfarma Indústria Química e Farmacêutica S.A.
VPR 3 – Quadra 2- C – Módulo 01- B – Daia
Anápolis – GO
CEP 75132-015
C.N.P.J.: 05.161.069/0001-10
Indústria Brasileira

Fabricado por:

Brainfarma Indústria Química e Farmacêutica S.A.
VPR 1 – Quadra 2- A
Módulo 4 – Daia
Anápolis – GO
CEP 75132-020

Venda sob prescrição médica.

Vitamina-B1-Neo-Quimica, Bula extraída manualmente da Anvisa.

Remedio Para – Indice de Bulas A-Z.

Compartilhe esta página!

Remédio Para Fóruns Bulas de Medicamentos Vitamina B1 Neo Quimica Bula

Visualizando 1 post (de 1 do total)
  • Autor
    Posts
  • #14169
    Anônimo
    Convidado

    Vitamina B1 Neo Quimica Bula

    Compartilhe suas experiências sobre este medicamento com outros usuários.
      • Utilizou este Remédio para?
      • Efeitos colaterais.
      • Resultados.
      • Indicações, sugestões e dicas!
    Acessar a Bula do medicamento.
    Vitamina B1 Neo Quimica Bula Completa extraída da Anvisa
Visualizando 1 post (de 1 do total)
  • Você deve fazer login para responder a este tópico.
Scroll to top